quarta-feira, 18 de junho de 2008

O primeiro dia do WQS na Bahia

A categoria feminina inaugurou o Surf ECO Festival na paradisíaca Praia do Forte, em Mata de São João, no litoral norte da Bahia. A terça-feira ficou toda reservada para definir as quartas-de-final das meninas e o primeiro destaque nas boas ondas de 1 metro de altura no fundo de coral de Papa Gente foi a brasileira Jacqueline Silva. Todas as competidoras foram divididas em doze baterias e a catarinense registrou os primeiros recordes do campeonato, recebendo a maior nota – 9,77 – no maior placar da primeira fase – 17,17 pontos de 20 possíveis. As classificadas ainda entrariam no mar duas vezes para tentar avançar para as quartas-de-final que estão previstas para serem realizadas no sábado. Na quarta, quinta e sexta-feira só terá competição masculina e tudo indica que as ondas começam a subir já a partir de hoje.

No primeiro dia do Surf ECO Festival, as séries tinham 1 metro de altura e apresentavam boa formação para a estréia das meninas na Praia do Forte. A primeira vitória foi conquistada pela paraibana Diana Cristina, que no início da tarde manteve a invencibilidade na segunda fase. “Estou muito feliz por ter começado bem. O mar está um pouco difícil, mas consegui achar duas ondas nas baterias para vencer”, falou a índia paraibana da Tribo Potiguara apontada como uma das maiores revelações dos últimos tempos no surfe feminino brasileiro, que nunca tinha competido em praia com fundo de coral no Brasil.

“É um pouco estranho, mas tem boas ondas e o pico é show, muito bonito”, elogiou Tininha, como Diana Cristina é mais conhecida. Já o primeiro sufoco quem passou foi a francesa Lee Ann Curren, filha do tricampeão mundial da década de 80, Tom Curren. Ela quebrou sua prancha, perdeu muito tempo para trocar o equipamento andando com cuidado pelo recife de corais e ainda assim conseguiu se classificar na bateria. “Ainda bem que eu peguei uma onda boa antes de quebrar a prancha, pois demorei bastante para pegar outra por causa dos corais que tem que ter cuidado para não cortar o pé. Estou feliz porque essa é a primeira vez que eu passo para a fase das 24 atletas numa etapa importante do WQS”, falou Lee Ann Curren

Brasileiras do WCT- Em seguida estrearam no Surf ECO Festival as duas representantes do Brasil na elite do WCT. A primeira delas foi a número 3 do mundo no ano passado, a cearense Silvana Lima. “Estou feliz em estar voltando a competir, pois passou uns três meses já sem competição nenhuma, a próxima etapa do WCT é só em agosto, então resolvi correr esses WQS para ganhar ritmo de competição de novo. Eu já conhecia a Praia do Forte e fiquei muito feliz quando soube que o campeonato ia ser aqui, porque esse lugar é show e vai ser bom para a galera de fora saber que tem fundo de pedra no Brasil com boas ondas também”, elogiou Silvana Lima.

Já a catarinense Jacqueline Silva deu um verdadeiro show surfando uma onda espetacular que valeu a maior nota do primeiro dia – 9,77 – e também registrou outro recorde de 17,27 pontos para o Surf ECO Festival. “Não poderia ter uma estréia melhor. Hoje nem está o melhor dia de ondas, a formação está bem difícil até, mas já estou dois dias surfando direto aqui e tive a felicidade de pegar as ondas boas na bateria. A prancha está boa e essa estréia foi resultado do meu esforço, pois venho treinando bastante em Floripa depois que voltei da Austrália para poder dar uma recuperada, porque não comecei bem a temporada e espero que a virada seja nesse campeonato”, falou a atual campeã mundial do WQS, Jacqueline Silva.

Ataque de Tubarão - Outra atração do Surf ECO Festival é a havaiana Bethany Hamilton, que teve o seu braço esquerdo arrancado num ataque de tubarão em 2003 na ilha de Maui, porém não gosta de falar disso, só da sua participação nas competições. E ela está bem próxima da zona de classificação para o WCT, em nono lugar no ranking do WQS que indica seis surfistas para completar a elite mundial feminina. Em sua estréia na Bahia, passou em segundo lugar para a segunda fase, atrás da catarinense Gabriela Leite.

“Eu estou bem confortável aqui por já ser acostumada a surfar em praias com fundo de coral ou pedra, então fiquei tranqüila e ainda bem que passei a bateria”, falou a havaiana, que prefere não falar ainda de classificação para o WCT. “Procuro não projetar muito no futuro e só me concentrar em cada onda, cada bateria, cada campeonato, então agora só estou me preocupando em dar o melhor de mim nessa etapa”.

Hoje, entra na água a categoria masculina e as primeiras baterias serão marcadas por duelos exclusivamente brasileiros!

Confira ao vivo as baterias do WQS na paradisíaca Praia do Forte

Resultados da terceira fase da categoria feminina

01:Diana Cristina (BRA),Silvana Lima (BRA),Rosane Hodge (ZAF)
02:Claire Bevilacqua (AUS),Paige Hareb (NZL),Jacqueline Silva(BRA)
03:Alana Blanchard (HAW),Rebecca Woods (AUS), Airini Mason (NZL)
04:Claudia Goncalves (BRA),Monik Santos (BRA),Sally Fitzgibbons (AUS)

Por João Carvalho - Adaptações Mariana Pieroni.
Foto: Daniel Smorigo

Fonte

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget
Template by - Abdul Munir | Daya Earth Blogger Template | Política de Privacidade