sexta-feira, 30 de abril de 2010

Vídeo da final entre Jadson e Kelly Slater

terça-feira, 20 de abril de 2010

Fotógrafo Harleyson Almeida agora é Taca Airlines

Profissional buscará as melhores fotos dos destinos da empresa aérea

O fotógrafo gaúcho especializado em surf, Harleyson Almeida, está comemorando uma grande fase em sua trajetória profissional. Após se garantir na cobertura do WCT Brasil, ele ainda firmou uma parceria com a empresa aérea Taca Airlines para fotografar os destinos das rotas da empresa mundo a fora. Após a captação, estas imagens formarão uma grande exposição.

O fotógrafo começará suas viagens pelo Peru e após se aventura pela Costa Rica. O objetivo de Harleyson Almeida é trazer os melhores ângulos, picos de surf, cultura, arte e a riqueza histórica dos lugares através de suas lentes. O fotógrafo, que além de atuar da terra, tem intimidade em clicar fotos alucinantes de dentro do mar.

Para Harleyson esta parceria representará uma oportunidade de aprendizado. “Estou muito feliz, assim como os surfistas, nós fotógrafos temos a necessidade de conhecer e buscar ângulos diferenciados de locais inusitados, e até mesmo muito conhecidos. Temos a obrigação de nos reinventar diariamente. A atitude da Taca Airlines é inédita, tenho de agradecer ao Daniel Trento, gerente da empresa no Rio Grande do Sul, pela oportunidade de mostrar minha visão dos destinos da companhia aérea”, comentou.

Para contatar o fotógrafo Harleyson Almeida: 51 96494797, 51 85397310 e 48 96107061, ou no email harleyson22@hotmail.com.



Por Gabriel de Mello

Feserj reune shapers e surfistas para discutir sobre pranchas e meio ambiente

JustificarConsiderado pelos mais experientes profissionais como o programa mais avançado do mundo há mais de 15 anos, o Shape3D é a ferramenta que faltava para tornar o processo de fabricação de pranchas ainda mais eficiente. Segundo o shaper Henry Lelot, diretor da Shape3d no Brasil, a empresa pretende aliarNo último sábado, 17 de abril, a Feserj (Federação de Surf do Estado do Rio) em parceria com a Sociedade Brasileira de Shapers (SBS), a Organização Surfe do Brasil (O’SURFE) e a Marbras Et Mundi reuniu shapers e surfistas no Auditório do Centro de Referência em Educação Ambiental de Marapendi, no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste do Rio, para apresentar a nova maquina de shape da Shape3D Brasil e o projeto Ecobloc.

No encontro, esteve presente o criador do programa Shape3D, o francês Thomas Wilmin, e o pesquisador carioca radicado em Florianopólis Paulo Eduardo Antunes, mestre em engenharia ambiental Coordenador do Projeto Marbras Et Mundi, que está divulgando o projeto piloto de um centro comunitário com a utilização de blocos de concreto fabricados com recuperação de resíduos da produção de pranchas.




Pranchas em terceira dimensão





JustificarConsiderado pelos mais experientes profissionais como o programa mais avançado do mundo há mais de 15 anos, o Shape3D é a ferramenta que faltava para tornar o processo de fabricação de pranchas ainda mais eficiente. Segundo o shaper Henry Lelot, diretor da Shape3d no Brasil, a empresa pretende aliar as vantagens do programa com os benefícios da nova máquina de shape, para oferecer um serviço de usinagem de primeira linha aos shapers cariocas.



A máquina, que tem capacidade para usinar pranchas e todo o tipo de equipamento náutico, como ate mesmo barcos e caiaques, de todos os tamanhos até 14 pés x 34 polegadas de largura máxima, está sendo instalada na sede da O’Surfe, na praia da Macumba.



Com tecnologia nacional e construída com o que há de mais moderno no mundo, a nova máquina usina a borda completa e corta ate mesmo a longarina, levando o pré-shape a um patamar nunca antes visto no Brasil. “Nosso projeto prevê a instalação de, ao menos uma máquina de shape em cada região, prestando serviço a todos. É claro que vai estar à venda para qualquer shaper que se interesse, inclusive por um preço super acessível, em torno de 29 mil reais”, salienta Lelot.



Já o programa Shape3D permite ao shaper desenhar suas pranchas no computador, como se estivesse na sala de shape. A prancha pode ser desenhada em até três ângulos simultâneos, mostrando todas as partes da prancha, permitindo sua visualização em terceira dimensão. O shaper pode girar a imagem para que esta possa ser observada por qualquer ângulo, com recursos de renderização (esquadrinhamento), iluminação e zoom. Isso irá facilitar a identificação de bumps (quebras de linha nas curvas da prancha).



Ecologicamente correto, o Shape3D contribui com o meio ambiente ao permitir a sobreposição do desenho sobre o bloco a ser utilizado, antes da usinagem, garantindo que a prancha seja cortada somente caso o desenho se encaixe adequadamente ao bloco, garantindo precisão nas medidas e evitando prejuízos financeiros. Inspirado em programas oriundos da indústria aeronáutica, o Shape3D permite ainda avaliar as curvas desenhadas minimizando o "drag" (arrasto Hidrodinâmico) e escolher a unidade de medida a ser utilizada (fração ou decimal de polegada, centímetro, etc).



Qualquer pessoa pode se cadastrar no site e baixar a versão "light" do programa, gratuitamente pela internet (www.shape3d.com), ou solicitar a versão completa para avaliação por 30 dias, sem custo algum ( sbs_shapers@hotmail.com ).



Surf sustentável




Incorporar o inconsciente coletivo à noção de que sem conservação não há futuro é imprescindível não só para a comunidade do surf atual, mas para toda a sociedade e gerações futuras. O surf e suas origens sempre transmitiram valores em que natureza e bem estar são fundamentais para uma vida saudável. O que muitos não sabem é que essa indústria, somente no Rio de Janeiro, produz no Brasil cerca de 28 mil pranchas de surfe ao ano, e aproximadamente 50% do material consumido é desperdiçado, produzindo uma média anual de 214 toneladas de resíduos tóxicos.



No entanto, estes materiais poderão se transformar em matéria-prima, minimizar impactos ambientais e retornar ao mercado¸ por meio de um novo ciclo econômico, gerando oportunidade de trabalho, renda e promoção institucional para o Rio de Janeiro, além de economizar cerca de 4,28 milhões de dólares por ano.



O projeto piloto, estudado e desenvolvido pelo mestre em engenharia ambiental, Paulo Eduardo Antunes, será implementado pela Marbras Et Mundi, através de parceria com a Feserj, a Sociedade Brasileira de Shapers e a ONG Organização Surfe do Brasil. Trata-se de uma edificação com 150m²¸ que será construída com Ecoblocs (blocos de concreto desenvolvido com resíduos de pranchas de surfe), por meio de mutirão com residentes da Comunidade do Terreirão, praia da Macumba. O espaço será então transformado em um núcleo de desenvolvimento sócio-ambiental, com a realização de atividades artísticas, desportivas e de capacitação profissional e pode ser replicado em outras comunidades.



“Os resíduos, que deveriam ir para um aterro industrial, são despejados aterros simples ou lixões, o que é altamente perigoso, já que trás sérios impactos não só para o meio ambiente, mas para a saúde de todos caso não recebam o tratamento ambiental adequado. Estes materiais poderão ser recuperados. Estes materiais poderão ser reutilizados, ainda mais considerando que o surfe depende da natureza, então é um dever até espiritual cuidar do nosso habit natural”, explicou Paulo Eduardo.



De acordo com Abílio Fernandes, Feserj, não há solução para tais problemas sem que haja uma ação efetiva que proporcione causa e efeito. “Sempre houve um trabalho de conscientização nas praias, mas o problema não acaba nunca, pois as pessoas continuam com o ciclo vicioso. Mas quando se viabiliza um projeto como este de reciclagem, que vai atuar efetivamente eliminando um problema, ainda mais se aproveitando os resíduos para o mercado, é realmente um trabalho para o desenvolvimento sustentável”, garantiu Abílio.



JustificarConsiderado pelos mais experientes profissionais como o programa mais avançado do mundo há mais de 15 anos, o Shape3D é a ferramenta que faltava para tornar o processo de fabricação de pranchas ainda mais eficiente. Segundo o shaper Henry Lelot, diretor da Shape3d no Brasil, a empresa pretende aliarNa primeira etapa, as empresas receberão um incentivo por meio de uma pré-certificação denominada 'compromisso ambiental', que caracterizará a adesão das fábricas de pranchas a um Sistema de Gestão Ambiental e após cumpridas todas as prerrogativas deste SGA, as empresas receberão o selo definitivo de 'excelência ambiental' certificado de compromisso ambiental, com o selo ISO SURF de excelência. “Podemos sensibilizar as pessoas, mas conscientização é um processo individual, é de cada um. Que tipo de herói é esse que está dentro d’água imerso, curtindo um tubo e, em paralelo está gerando toneladas de lixo tóxico, prejudicial ao meio em que vivemos... É contraditório”, argumentou o mestre em engenharia ambiental e surfista, local do Rio de Janeiro mas residente em Florianópolis, Santa Catarina.



“A idéia é ótima, o mais difícil é que as coisas só começam a funcionar quando se torna um hábito, a sociedade ainda não estás preparada para limpar o nosso planeta da sujeira que fazemos. Existe um mal armazenamento e podemos sim ser os pioneiros. O importante é começar com este projeto, que a cada dia se torna uma voz forte e necessária, pois já estamos dentro de um limite para melhorar nossas condições de vida”, disse o shaper Daniel Friedmann.



Para Jorge Araújo, diretor de meio ambiente da Feserj, o verdadeiro espírito do surfista está devendo muito à natureza. “Fiquei muito feliz em ver um projeto como esse, pois a sociedade imagina que o surf é ecologicamente correto, mas na prática não é bem assim. No Grumari, por exemplo, um parque tombado e preservado, as pessoas não respeitam e jogam lixo na praia, no chão. Estamos sempre promovendo a educação, mas a participação dos surfistas é muito pequena, a maioria não está integrada e ainda continua poluindo. Além do lado de quem produz e gera resíduo, por não saber o que fazer com o lixo, tem o trabalho social, árduo e fico animado com a possibilidade de diminuir esse impacto”, disse Jorginho que também é e diretor-fundador da ASAG (Associação dos Surfistas Amigos do Grumari).

Por Viviane Freitas

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Sábado de boas ondas na Taça Modamar AST de Surf Amador

101 atletas brigam para pela premiação e os pontos no ranking

Começou neste sábado as disputas da Taça Modamar AST de Surf Amador, válida pela segunda etapa do Circuito Gaúcho Interassociações e primeira local, na praia dos Molhes, em Torres. O sol reinou absoluto e o mar proporcionou boas ondas para os 101 surfistas que brigam pelo primeiro lugar no pódio. Os destaques do dia foram os atletas Atair Michereff e o alagoano Silvério Jorge, que se garantiram para as finais de amanhã.
O catarinense Atair Michereff mostrou que não cruzou o Mampituba para brincar. O atleta conseguiu uma nota 8,25 pontos um onda alucinante. Michereff conseguiu ainda ter o melhor somatório em suas duas melhores ondas, atingindo 14,50 pontos. Dos gaúcho o grande destaque foi Josias Pedrinha, que conseguiu uma nota 8,00 na categoria Open.
No domingo as disputas começam a partir das 9h15 e podem ser conferidas no endereço http://www.surfpro.com.br/2010/fgs/amd04/. Ao todo são 10 categorias disputando a premiação e também os pontos para o ranking de suas associações.
O circuito Interassociações é aberto para atletas de todo o país, independente de filiados a uma associação gaúcha. Para este circuito não haverá cobrança de filiação. Todos serão ranqueados e poderão, se quiserem, participar da etapa Prime, prevista para o final do ano, quando o vencedor da categoria Open (somente da categoria Open) receberá das associações realizadoras do circuito Gaúcho Interassociações uma passagem aérea para o Peru. Outras dúvidas sobre o circuito podem ser dirimidas com o Tour Manager da FGSurf, Jéferson Rabassa, o Pica-pau, através do MSN dez1970@hotamail.com.

Após um dia de altas ondas nada melhor que aproveitar para curtir uma super festa no Clube Bora-Bora. A casa noturna colocará seus DJ`s e músicos agitando a noite dos participantes e do público.

A Taça MODAMAR é apresentada pela Fundergs, com o patrocínio da MODAMAR e da Prefeitura Municipal de Torres. O apoio é do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, Atomic Energy Drink, Simões Surf Boards, Linha Exata Surf Boards, Gabriel Vicente Surf Boards, Daniel Nascimento Surf Boards, MM Surf Boards, Outro Industria, PopRock, Programa Surf Rider, Atomic, Hotel Bauer, FGSurf e Clube Bora-Bora. A realização é da Associação dos Surfistas de Torres (AST).

Gabriel de Mello

terça-feira, 13 de abril de 2010

Formando campeões dentro e fora d’água

O sonho de pegar onda e ser um grande campeão de surfe pode se tornar realidade para muitos jovens e crianças do Rio de Janeiro, de todas as classes sociais. Inspirada nos mais diversos surfe clubes da Austrália, a O’Surfe (Organização Surfe do Brasil) está mais do que nunca voltada para o alto rendimento esportivo. A ONG, que agora atua como um Centro de Treinamento em surfe, conta com diversos profissionais para o aperfeiçoamento nas ondas.

O Centro de Treinamento O’Surfe, através do esporte dos reis, está formando uma nova geração de atletas como o potiguar John Max, 18 anos, que já treina no clube desde 2007 e é atualmente o mais jovem atleta do Brasil Surf Pro 2010. Com mais de 300 jovens aguardando a sua chance na fila de espera, a O’SURFE atua, além da integração social e familiar, na formação de novos talentos para o esporte e não apenas ensiná-los a ficar em pé sobre a prancha.

Para tanto, é feito um acompanhamento individual de cada atelta, que conta com psicólogo, treinamento técnico e tático filmado em vídeo (já priorizando os novos critérios de julgamento), surflates (pilates específico para o surfe), cama elástica, quiropraxia, jiu-jitsu, natação, nutrição e yôga. “Há uma grande diferença entre promover a iniciação esportiva e preparar atletas para o alto-rendimento nas competições. Para tanto, disponibilizamos uma equipe de profissionais especializados nas diversas áreas do treinamento desportivo para implementar este novo projeto”, disse o shaper Henry Lelot, fundador da ONG e coordenador do projeto.

A integração social continua sendo prioridade, mas o trabalho agora passa a abranger atletas de todas as classes sociais, na medida em que todas as atividades estão abertas ao público. No final de 2009, a ONG ganhou o certificado de Mérito Esportivo, do Governo do Estado do Rio de Janeiro, o qual proporciona incentivo fiscal para empresas que tenham interesse em incentivar o projeto (com redução de 4% no ICMS). Em 2010, estão inscritos cerca de 50 jovens de comunidades de toda a orla do Rio, entre elas, o Terreirão (Recreio dos Bandeirantes), Rocinha, Cantagalo, Vidigal, entre outras. A estrutura conta com sala para atividades físicas, sala de informática, sala de vídeo, refeitório, alojamento, oficina-escola e show-room de pranchas e acessórios.

Além do John Max, outros atletas têm se destacado bastante nas competições no estado do Rio, entre eles, Venâncio Pimenta, 17 anos, reconhecido como a nova revelação do Recreio (comunidade do Terreirão), Lucas Soares, 13 anos, que já foi considerado um dos melhores do Rio em sua categoria. Bem como Cristiano Gomes, 12 anos, que já ganhou diversas etapas do estadual do Rio e Vitor Soares, 12 anos, que chegou a muitas finais no ano passado, sendo um dos destaques de 2009.

Viviane Freitas

Circuito Interassociações de Surf agitará Torres no final de semana

Nova categorias estarão nas disputas nas águas de Torres

A Associação dos Surfistas de Torres (AST) ainda não definiu em qual praia do Município de Torres será realizada a Taça MODAMAR AST 2010, no próximo final de semana (17 e 18 de abril), válido pela segunda etapa do circuito Estadual Interassociações e primeira do certame local. O presidente, juntamente com uma comissão definirá o pico conforme as condições apresentadas na quinta-feira (15/04).
As inscrições podem ser realizadas até as 18 horas da quinta-feira. Todos os detalhes sobre as inscrições podem ser conferidas em http://www.fgsurf.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=255&Itemid=2
Ao todo serão nove categorias duelando pelos pontos e defendendo suas praias:
JUNIOR – Somente surfistas nascidos a partir de 01/01/1992;
MIRIM – Somente atletas nascidos a partir de 01/01/1994;
INICIANTES – Somente surfistas nascidos a partir de 01/01/1996;
MASTER – Somente atletas nascidos até 31/12/1975;
SENIOR – Somente surfistas nascidos até 31/12/1982;
FEMININO, LONGBOARD e SURDOS – Não tem limite de idade.
UNIVERSITÁRIO - Atletas terão de apresentar o comprovadamente de matrícula do semestre 2010/1.

O circuito Interassociações é aberto para atletas de todo o país, independente de filiados a uma associação gaúcha. Para este circuito não haverá cobrança de filiação. Todos serão ranqueados e poderão, se quiserem, participar da etapa Prime, prevista para o final do ano, quando o vencedor da categoria Open (somente da categoria Open) receberá das associações realizadoras do circuito Gaúcho Interassociações uma passagem aérea para o Peru. Outras dúvidas sobre o circuito podem ser dirimidas com o Tour Manager da FGSurf, Jéferson Rabassa, o Pica-pau, através do MSN dez1970@hotamail.com.

Para a Taça MODAMAR, o clube Bora-Bora preparou a já tradicional festa oficial da disputa. A casa noturna colocará seus DJ`s e músicos agitando a noite dos participantes e do público. Serão distribuídos Freepass para a galera diretamente no Bora-Bora na tarde do sábado (17/04).

Quem precisar de hospedagem na cidade de Torres poderá contar com toda a estrutura do Hotel Bauer, que terá pacotes especiais para os participantes do campeonato. Podendo chegar até o valor de R$ 15,00 (quinze reais) o custo de cada diária para os atletas inscritos. O Hotel Bauer é localizado na rua Balbino de Freitas, esquina com a Barão do Rio Branco. O telefone do hotel é 3664-1290.

A Taça MODAMAR é apresentada pela Fundergs, com o patrocínio da MODAMAR e da Prefeitura Municipal de Torres. O apoio é do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, Simões Surf Boards, Linha Exata Surf Boards, Gabriel Vicente Surf Boards, Daniel Nascimento Surf Boards, MM Surf Boards, Outro Industria, PopRock, Programa Surf Rider, Atomic, Hotel Bauer, FGSurf e Clube Bora-Bora. A realização é da Associação dos Surfistas de Torres (AST).

Telefone úteis:
Presidente da Associação dos Surfistas de Torres, Carlos Freitas, 51 84680981
Tour Manager da FGSurf, Jéferson Rabassa, 51 99685817

Gabriel de Mello

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Inscrições abertas para a Taça MODAMAR AST de Surf Amador

Circuito Interassociações recomeça suas disputas

Estão abertas as inscrições para a Taça ModaMar, válida como primeira etapa do circuito AST 2010 (Associação dos Surfistas de Torres) e também segunda do circuito Gaúcho Interassociações deste ano. A competição será realizada no final de semana (17 e 18 de abril) na cidade de Torres (RS). A praia das provas só será definida na quinta-feira (15/04), juntamente com o término do período de inscrições, porque a AST priorizará o local com previsão de melhores ondas.

Ao todo serão nove categorias duelando pelos pontos e defendendo suas praias. As inscrições devem ser feitas através de um depósito bancário na conta da Associação dos Surfistas de Torres, no banco do Brasil (Ag. 0778-1 – c.c. 15991-3), no valor de R$ 50,00 (cinquenta reais) para a categoria Open e R$ 40,00 (quarenta reais) para as demais categorias. Os atletas devem observar os limites de idade nas seguintes categorias:

JUNIOR – Somente surfistas nascidos a partir de 01/01/1992;
MIRIM – Somente atletas nascidos a partir de 01/01/1994;
INICIANTES – Somente surfistas nascidos a partir de 01/01/1996;
MASTER – Somente atletas nascidos até 31/12/1975;
SENIOR – Somente surfistas nascidos até 31/12/1982;
FEMININO, LONGBOARD e SURDOS – Não tem limite de idade.
UNIVERSITÁRIO - Atletas terão de apresentar o comprovadamente de matrícula do semestre 2010/1.

Após realizar o depósito e definir sua categoria, o atleta tem a obrigação de enviar o comprovante via email para o Tour Manager da FGSurf, Jéferson Rabassa, através do endereço lab.rs2@daruma.com.br. Atenção, não esqueça de observar o nome e a data de nascimento do surfista que deseja participar. A data limite para esta inscrição é até quinta-feira (15/04). Dúvidas a respeito da sua inscrição podem ser dirimidas com Jéferson através do MSN dez1970@hotmail.com ou do telefone 51 99685817.
O circuito Interassociações é aberto para atletas de todo o país, independente dos mesmos serem filiados a uma associação gaúcha. Para este circuito não haverá cobrança de filiação. Todos serão ranqueados e poderão, se quiserem, participar da etapa Prime, prevista para o final do ano, quando o vencedor da categoria Open (somente da categoria Open) receberá das associações realizadoras do circuito Gaúcho Interassociações uma passagem aérea para o Peru. Outras dúvidas sobre o circuito, também podem ser dirimidas com o Tour Manager da FGSurf, Jéferson Rabassa, o Pica-pau.

Para a Taça MODAMAR, o clube Bora-Bora preparou um super coquetel para os atletas, além da já tradicional festa oficial. Serão distribuídos Freepass para a galera diretamente no Bora-Bora na tarde do sábado (17/04).

Quem precisar de hospedagem na cidade de Torres poderá contar com toda a estrutura do Hotel Bauer, que terá pacotes especiais para os participantes do campeonato. Podendo chegar até o valor de R$ 15,00 (quinze reais) o custo de cada diária para os atletas inscritos. O Hotel Bauer é localizado na rua Balbino de Freitas, esquina com a Barão do Rio Branco. O telefone do hotel é 3664-1290.

A Taça MODAMAR é apresentada pela Fundergs, com o patrocínio da MODAMAR e da Prefeitura Municipal de Torres. O apoio é do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, Simões Surf Boards, Linha Exata Surf Boards, Gabriel Vicente Surf Boards, Daniel Nascimento Surf Boards, MM Surf Boards, Outro Industria, PopRock, Programa Surf Rider, Atomic, Hotel Bauer, FGSurf e Clube Bora-Bora. A realização é da Associação dos Surfistas de Torres (AST).

Telefone úteis:

Presidente da Associação dos Surfistas de Torres, Carlos Freitas, 51 84680981
Tour Manager da FGSurf, Jéferson Rabassa, 51 99685817

Gabriel de Mello

segunda-feira, 5 de abril de 2010

FGSurf alerta para redes de pesca na costa gaúcha

A equipe da Federação Gaúcha de Surf alerta para a liberação da pesca com redes e outros artefatos na costa gaúcha. Estes objetos podem oferecer riscos para a vida dos surfistas e outros praticantes de esportes náuticos. 

Este é o primeiro feriado após esta liberação, e a FGSurf pede atenção aos atletas antes de entrar na água. Verifique se na sua praia há áreas demarcadas para a pratica do surf. Procure caminhar na área que vai surfar, verificando se não há nenhuma rede, bóia ou calão neste local, principalmente quando o mar apresentar corrente. Com a presença destas correntes pode-se sair da área de surfe muito rápido, aumentando ainda mais o perigo.

Aproveitamos a oportunidade para lembrar, com muito pesar, que ha um ano atrás perdemos o surfista Lucas Boeira, que se acidentou em uma rede de pesca na praia de Capão Novo. Lucas era um jovem que amava a vida e sempre foi um apaixonado pelo surf.

Gabriel de Mello
Assessoria de Comunicação da Federação Gaúcha de Surf

Ocorreu um erro neste gadget
Template by - Abdul Munir | Daya Earth Blogger Template | Política de Privacidade