sexta-feira, 25 de julho de 2008

Guilherme Tâmega e Neymara Carvalho buscam título da etapa do Mundial

Brasileiros com o maior número de títulos mundiais no bodyboard, Guilherme Tâmega e Neymara Carvalho estão confirmados na segunda etapa nacional do Circuito Mundial. Nesta sexta-feira, os cabeças-de-chave entram em ação na Praia do Costa Azul, em Rio das Ostras (RJ).

Hexacampeão mundial, Tâmega vem embalado pela campanha em Shark Island, na Austrália, onde parou nas quartas-de-final, pulando da sétima para a quarta posição no ranking. Após três etapas, o líder é o australiano Ben Player. Os brasileiros Uri Valadão e Paulo Barcellos, campeão mundial em 2000, aparecem logo atrás.

- A luta continua – diz Tâmega.

Tri mundial, Neymara está em terceiro, atrás de Naara Caroline e de Joselaine Amorim.

- Eu me preparei intensamente para esta competição, fazendo um bom trabalho de preparação física, com exercícios de musculação regulares. Além disso, intensifiquei meus treinamentos no Rio, fazendo bons treinos no mar para ganhar ritmo de competição – diz Neymara.



Fonte

Pablo Paulino e Yuri Sodré são as últimas esperanças do Brasil na Califórnia

Todos os sete brasileiros que entraram em ação nesta quinta-feira foram eliminados do WQS de Huntington Beach, na Califórnia. Entre eles, o ubatubense Hizunomê Bettero, terceiro colocado no ranking. As últimas esperanças do país na etapa seis estrelas da divisão de acesso mundial estão no cearense Pablo Paulino e no carioca Yuri Sodré, que ainda vão estrear.

Pablo enfrentará o alemão Marlon Lipke, o francês das Ilhas Reunião Romain Cloitre e o havaiano Jesse Merle-Jones.Yuro terá pela frente os atralianos Nic Muscroft e Julian Wilson e o costa-riquenho Federico Pilurzu.

Além de Hizunomê, foram eliminados nesta quinta Pedro Henrique, Jean da Silva, Wiggolly Dantas, Alejo Muniz, André Silva e Jean da Silva.



A melhor soma do dia foi do americano Cory Lopes: 18,07 pontos em 20 possíveis. Entre as decepções, a maior foi a eliminação do havaiano Sunny Garcia, campeão mundial de 2000. Ele ocupa a oitava colocação do ranking mundial. Os 15 primeiros da lista, no fim do ano, disputarão a divisão de elite (WCT) em 2009.


Terceira fase:

1: Taylor Knox (EUA) 15.17, Kieran Horn (EUA) 12.37, Benji Weatherley (HAV) 6.00, Jose Maria Cabrera (CNY) 5.64
2: Hodei Collazo (ESP) 11.17, Pablo Gutierrez (ESP) 10.44, Yadin Nicol (AUS) 9.94, Nathan Hedge (AUS) 7.17
3: Tim Boal (FRA) 15.84, Sterling Spencer (EUA) 10.67, Teppei Tajima (JAP) 10.40, Pedro Henrique (BRA) 10.03
4: Tim Reyes (EUA) 17.77, Dusty Payne (HAV) 13.93, Austin Ware (EUA) 13.34, Jean Da Silva (BRA) 6.73
5: Damien Fahrenfort (AFS) 14.50, Evan Geiselman (EUA) 11.03, David Weare (AFS) 9.74, Luke Cheadle (AUS) 6.81
6: Adam Robertson (AUS) 14.07, Jesse Heilman (EUA) 13.50, Matt Wilkinson (Aus) 12.33, Ricky Whitlock (EUA) 11.26
7: Brett Simpson (EUA) 14.10, Enko Acero (EUK) 13.97, Phillip MacDonald (AUS) 12.83, Leigh Sedley (AUS) 10.67
8: Dane Gudauskas (EUA) 14.00, Nick Rozsa (EUA) 10.50, Drew Courtney (AUS) 10.40, Jack Perry (AUS) 5.87
9: Chris Davidson (AUS) 15.27, Eric Geiselman (EUA) 13.93, Shane Beschen (EUA) 12.97, Dustin Cuizon (HAV) 12.37
10: Cory Lopez (EUA) 18.07, Adam Melling (AUS) 14.20, Wiggolly Dantas (BRA) 13.43, T.J. Barron (HAV) 10.60
11: Greg Emslie (ZAF) 16.74, Dustin Barca (HAV) 13.77, Justin Mujica (PRT) 10.87, Rudy Palmboom (ZAF) 10.03
12: Patrick Gudauskas (EUA) 13.83, Cory Ziems (AUS) 12.76, Tanner Gudauskas (EUA) 11.20, Asher Nolan (EUA) 10.20
13: Chris Waring (EUA) 14.93, Patrick Bevin (FRA) 14.60, Alejo Muniz (BRA) 10.97, Ola Eleogram (HAV) 10.90
14: Kirk Flintoff (AUS) 12.00, Michel Bourez (PYF) 11.16, Kevin Sullivan (HAV) 8.83, Andre Silva (BRA) 8.73
15: Kekoa Bacalso (HAV) 16.24, Gony Zubizarreta (ESP) 14.27, Sean Marceron (EUA) 13.43, Jadson Andre (BRA) 12.27
16: Torrey Meister (HAV) 14.90, Charles Martin (GLP) 12.96, Sunny Garcia (HAV) 12.47, Dion Atkinson (AUS) 9.43
17: Joel Centeio (HAV) 16.00, Kiron Jabour (HAV) 11.63, Hizunome Bettero (BRA) 10.90, Kyle Ramey (HAV) 5.50
18: Roy Powers (HAV) 14.47, Joan Duru (FRA) 13.83, Shaun Gossmann (AUS) 11.53, Brian Toth (PRI) 8.67
19: Shaun Cansdell (AUS) 13.00, Josh Kerr (AUS) 13.00, Mitchel Coleborn (AUS) 10.86, Alex Smith (HAV) 7.13
20: Hugo Savalli (REU) 13.76, Nathaniel Curran (EUA) 13.73, Blake Howard (EUA) 5.57, Justin McBride


Fonte

quinta-feira, 24 de julho de 2008

As quatro brasileiras foram eliminadas nesta quarta-feira

As quatro brasileiras inscritas no tradicional US Open of Surfing foram eliminadas nesta quarta-feira, no píer de Huntington Beach.

Enquantos os homens tiveram um dia de folga, as mulheres disputaram três rodadas.

Cláudia Gonçalves e Bruna Schmitz caíram na segunda fase, enquanto Suelen Naraísa e Jacqueline Silva perderam na rodada seguinte.

Claudinha e Suelen fizeram dobradinha na primeira fase. Em seguida, Jacque descolou 14.50 pontos para avançar junto com Suelen, autora de 13.24, em bateria que contou ainda com a aussie Laura Enever e a paranaense Bruna Schmitz, quarta colocada.

Na terceira rodada, Jacque e Suelen não entraram em sintonia com as ondas e foram derrotadas em suas respectivas baterias.


Fonte

Slater: ‘Não há nada no meu caminho’

Vencedor de quatro de cinco etapas do Circuito Mundial (WCT) 2008, Kelly Slater está cada vez mais perto de conquistar o nono título mundial. Aos 36 anos, o americano diz estar totalmente relaxado para o próximo desafio, de 30 de julho a 10 de agosto, na Indonésia. Confira o ranking WCT!

- Estou bastante relaxado. Minha vida está realmente boa tanto pessoalmente quanto profissionalmente. Não há nada me desvirtuando, nada no meu caminho. Tenho que ter a mesma pegada do começo do ano, que é não me preocupar, e só me concentrar no presente e em como maximizar isso.

Slater só perdeu duas baterias nesta temporada, ambas para um surfista que não faz parte da elite mundial: o taitiano Manoa Drollet, convidado local da etapa de Teahupoo. Venceu os WCTs da Gold Coast (AUS), Bells Beach (AUS), Ilhas Fiji e Jeffreys Bay (AFS).

- É bom porque isso deixa a pressão nos ombros dos outros. A vitória na África do Sul colocou uma pressão imensa nos outros, mas ainda falta um longo caminho para o nono título.

Fonte

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Jadson André faz bonito na Califórnia

Jadson André arrebenta nas ondas de Huntington Beach e totaliza um dos maiores placares da história do evento mais tradicional do surfe norte-americano

Pela primeira vez na longa história do WQS de Huntington Beach, nenhum brasileiro da elite atual do WCT está participando do maior campeonato de surfe do mundo neste ano. Mas, a nova geração do Brasil está representando muito bem o país, encabeçando as listas de recordes dos primeiros dias.

Na segunda-feira, o cearense Charlie Brown foi o melhor da rodada de 192 competidores e na terça-feira o potiguar Jadson André abusou dos aéreos para atingir um dos maiores placares da história do evento no píer de Huntington Beach.

Foi numa bateria com participação tripla do Brasil que já foi inaugurada com o natalense-voador surfando uma ótima onda com fortes manobras que valeu nota 9,23.

O havaiano Torrey Meister também começou bem com 9,17, enquanto o catarinense William Cardoso e o recordista do primeiro dia, Charlie Brown, iam ficando para trás. Principalmente após a segunda onda de Jadson André que ele acertou um aéreo muito alto em outra fantástica apresentação que lhe rendeu o primeiro 10 do ano no WQS de Huntington Beach.

Os próprios organizadores anunciaram que seu placar de 19,23 pontos foi um dos maiores de toda a história da competição mais tradicional do surfe norte-americano na Califórnia. O havaiano também surfou outra onda excelente, mandou um lindo aéreo para conseguir nota 9,93 dos juízes e atingir também incríveis 19,10 pontos de 20 possíveis. Os dois não deram qualquer chance para William Cardoso e Charlie Brown.

“Acho que foi uma das melhores baterias da minha vida”, confessou Jadson André. “As ondas aqui são bem parecidas com as de casa, lá em Natal, já vim várias vezes para cá e gosto muito daqui. Estou muito feliz por ter surfado bem e vencido”.

Dobradinha brasileira - Nessa não saiu, mas outro catarinense e outro cearense já tinham comemorado duas baterias antes a primeira dobradinha verde-amarela do WQS de Huntington neste ano.

O jovem catarinense Alejo Muniz entrou nas triagens iniciadas na sexta-feira passada e disputou três baterias para conquistar uma das oito vagas que completaram a primeira rodada de 24 baterias do campeonato. Computou sua terceira vitória em Huntington Beach na segunda-feira e a quarta na terça-feira, com o cearense André Silva completando a dupla classificação contra o japonês Izuki Tanaka e o americano Duran Barr.

Também com duas vitórias no evento principal, outro grande talento da nova geração brasileira, o paulista Wiggolly Dantas, avançou para enfrentar os cabeças-de-chave. Mais cinco brasileiros fazem parte desse grupo que entra direto na terceira fase, quando começa a ser distribuída a premiação em dinheiro oferecida nas etapas do WQS.

O carioca Pedro Henrique está na terceira bateria e na quarta tem o catarinense Jean da Silva, que foi até as semifinais em Huntington Beach no ano passado. Na 17ª, o paulista Hizunomê Bettero começa a defender a terceira posição no ranking e a brigar pela liderança do WQS nos Estados Unidos. Depois, tem o cearense Pablo Paulino na 22ª bateria e na 23ª o carioca Yuri Sodré.

Fonte

Regras no mar para kitesurf

As embarcações com melhor manobrabilidade são obrigadas a desviar das embarcações que não manobram tão facilmente. Isso faz com que o kite tenha que desviar de quase tudo no mar, com exceção de lanchas e jet skis. Mas, e em relação aos outros kitesurfers?- quem tem a mão direita no sentido do velejo tem a preferência;- em função de ser difícil passar a arrebentação, quem está entrando na água tem preferência sobre quem está velejando em direção à areia, mesmo se estiver com a mão esquerda no sentido do velejo;- quem estiver ultrapassando deve arribar e abaixar o seu kite, enquanto que quem estiver sendo ultrapassado devo subir o kite;- quem salta perde a preferência, além de ter a obrigação de cuidar para não cair em cima de alguém;- os kitesurfers que forem pousar devem ceder a vez àqueles que forem decolar;- quem estiver a sotavento (lado para onde vai o vento) tem preferência sobre quem estiver a barlavento (lado de onde sopra o vento);- na modalidade Wave, o atleta que estiver surfando uma onda tem preferência de passagem.

Segurança

  • Procure um local com no mínimo 150m livres de quaisquer obstáculos como árvores, carros, pessoas, postes, cabos de energia, ruas, cercas e animais;
  • Jamais segure as linhas de vôo ou fique entre elas com o kite voando ou com risco de decolar. Quando tensionadas, são muito cortantes e perigosas. Dica: Alerte banhistas e curiosos para não chegarem muito perto;
  • Nunca empine o kite durante tempestades ou com nuvens carregadas. O equipamento pode virar um perfeito pára-raios;
  • Procure saber a faixa de vento recomendada para seu kite, em relação ao seu peso e não o decole em ventos acima do limite. É muito perigoso estar overpowered, pois o kite pode levantá-lo a muitos metros de altura;
  • Se for iniciante, não veleje com o vento terral. Seu equipamento e você poderão ser levados para alto-mar;
  • Equipamentos de segurança recomendados: capacete, colete flutuante, luvas, faca em gancho (para segurar/cortar a linha em uma emergência) e roupa de neoprene (se levado para longe, você pode ficar dentro dágua por muitas horas);
  • Fique longe de aeroportos e helipontos. Fique alerta com aeronaves em vôo rasante ou procedimento de resgate na sua direção. Caso aconteça, baixe o kite imediatamente. O piloto pode não estar vendo o kite ou as linhas.
  • Evite ficar com a barra engatada no trapézio em terra firme. Se for levantado e/ou arrastado, você pode não conseguir se soltar a tempo. É importante também conhecer e praticar o uso de sistemas de desengate rápido e desarme do seu kite.
  • Na água, tome extremo cuidado com embarcações, pedras e sua própria prancha, principalmente se ela estiver à sua frente, com as quilhas para cima. Muito cuidado também com objetos submersos como pedras, troncos, raízes e corais.
  • Tenha sempre um parceiro para observá-lo e ajudá-lo. Planeje seu velejo - onde você vai decolar, por onde é mais seguro entrar na água, o percurso a ser percorrido, as condições do tempo, direção do vento e correntes, onde você vai sair.
  • Ao praticar kitesurfing nas ondas, lembre-se que ao cair na arrebentação, você pode se enrolar nas linhas;
  • Iniciante deve praticar os procedimentos de decolagem, pouso e auto-resgate;
  • Nunca deixe um kite solto na praia.

terça-feira, 22 de julho de 2008

Resultados da 2ª etapa do Circuito Bodyboard Ecologic

No último dia 13 de julho aconteceu a 2ª etapa do Circuito Bodyboard Ecologic, no Balneário de Praia de Leste, no Pontal do Paraná. O destaque foi Eder Luciano, campeão da Open Masculina. Já na Open Feminina, a vitória ficou com Meg dos Santos, que deixou em 2º a atual campeã paranaense Perola de Souza.

Nas categorias Amadoras os destaques foram os paranaenses Thiago Aquino de Praia de Leste, Marcos Bueno de Matinhos, além de Felipe Abreu e Leonardo Abreu 1º e 2º na Junior. No prêmio de melhor onda surfada, o atleta Emerson Rocha de Matinhos foi o vencedor, executando uma seqüência de 360º.

Resultado

Local
1º Fábio Castilho
2º Edson Jr.
3º Thiago Smanioto
4º Willian Silveira

Júnior
1º Felipe Abreu
2º Leonardo Abreu
3º Carlos Silveira
4º Felipe Mormano (SC)

Amador Masculino
1º Thiago Aquino
2º Marcos Bueno
3º Emerson Rocha
4º Lucas Martins

Open Feminino
1º Meg dos Santos
2º Pérola de Souza
3º Maria Alice
4º Guta Borges

Open Masculino
1º Eder Luciano (SC)
2º Daniel Gustavo (SC)
3º Sanderson Trevisan
4º Fernando Godoy (SC)


Fonte

Rio das Ostras já começa a se movimentar para sediar a quarta etapa do mundial de boydboard

A cidade de Rio das Ostras já começa a se movimentar para sediar a quarta etapa do mundial de boydboard masculino e segunda do mundial feminino. Atletas do mundo inteiro prometem desembarcar na cidade carioca e lutar muito por preciosos pontos na corrida para o ranking mundial.

A Praia de Costa Azul, sede do evento, já começa a sofrer mudanças com o grande evento que acontece ente os dias 24 e 27 de julho e contará com uma premiação de U$ 30.000. O palanque oficial do evento já está quase pronto e só faltam alguns detalhes para que a estrutura esteja pronta para abrigar os atletas dos 4 cantos do planeta.


Por falar em atletas, alguns deles já começam a aparecer pela cidade de Rio das Ostras onde devem treinar até o início das competições. Nicholas Bastos, da nova geração, já deu as caras e treina forte. O atleta do Rio de Janeiro competirá pela primeira vez em um campeonato mundial profissional, mas terá a seu lado um grande conhecimento do local, fator que pode ser fundamental para uma boa campanha no evento.

“Eu estou um pouco nervoso por ser minha primeira competição como profissional, mas eu já conheço bem o local. Já fui campeão de uma etapa do latino-americano aqui mesmo em Rio das Ostras no ano de 2005” , disse o atleta de apenas 17 anos, mas que já mostra muita maturidade e performance de atleta grande.

O jovem atleta terá pela frente grandes adversários como Paulo Barcellos, Guilherme Tâmega, Uri Valadão, Luiz Villar e muitos outros tops do circuito mundial, que virão para essa etapa em busca de melhores posições no ranking mundial. Entre as mulheres promessa de show por parte de Neymara Carvalho, Naara Carolyne, Maíra Viana que lideram o tour mundial em 2008

Além dos brasileiros, os gringos também aparecerão em Rio das Ostras em busca de um bom resultado. Atletas como Amaury Lavherne (Ilhas Reuniões), Pierre Louis Costes (França), Mark MaCarthy (África do Sul) entre os homens e Lumar Guttard (Venezeula) e vale lembrar ainda, que os atletas poderão fazer a inscrição no evento até a quarta-feira, dia do check in, que acontecerá na casa do bodyboard, na Praia de Costa Azul.

O Rio das Ostras International 2008 é realizado pela Secretária de Esportes e Lazer Prefeitura Municipal de Rio das Ostras em parceria com a Confederação Brasileira de Bodyboard. O evento conta com o apoio da marca Genesis, BZ, BackDoor, a atleta Neymara Carvalho e a loja BACBodyboard Shop. A quarta etapa do mundial de bodyboard masculino e segunda do mundial feminino é homologada pela IBA.

Danilo Caboclo – (11) 7667-9636 – dancaboclo@yahoo.com.br – Assessoria de Imprensa do Rio das Ostras International 2008

Flávio Brito – (21) 8855-1774 – fbrito@abbctour.net – Assessoria de Imprensa do Rio das Ostras International 2008


Fonte

Surf invade a telona em Floripa

O projeto J´Bay Surférias acontece em Florianópolis (SC) com a apresentação de filmes de surf no cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), no próximo dia 31 de julho.

Em um só dia, seis novos filmes para você conferir na telona do cinema: Indo.Doc, Season, HB Soul e Freesurfer, além dos lançamentos nacionais de Somewhere (Rip Curl) e Twenty Thousand One Hundred Sixty Seconds (Hurley).

Para conferir qualquer um dos filmes apresentados no período da tarde, basta levar um agasalho (moletom, blusa, cobertor) em bom estado até uma loja J’Bay e trocar por um ingresso. A peça que você doar será encaminhada para uma instituição de caridade.

Para as sessões da noite, o ingressos custam R$ 15 e podem ser adquiridos antecipadamente também na rede de lojas J’Bay, a partir do dia 15 de julho. Quem antecipar seu ingresso ganha R$ 5 de desconto mais uma parafina Pacific Waves.

Todas as sessões contam com sorteios de camisetas bonés e acessórios, oferecidos pelas marcas Lanho, Rip Curl, Hot Buttered, Pacific Waves e Hurley, além de diversos DVD´s dos filmes Season, Freesurfer - a onda virtual e dos demais filmes apresentados.

O CIC fica localizado à avenida Irineu Borthausen, 3900, Florianópolis (SC).

Para obter mais informações, entre em contato pelo telefone (0xx48) 8409 8804 ou envie mensagem para maurio@s365.com.br .

O J´Bay Surférias é uma apresentação do Waves e jornal Drop. Divulgação: Rádio Jovem Pan Fm e J’Bay Surfone - (0xx48) 8401 0365.

Programação

14:00 – Indo.Doc – Documentário.
15:00 – Season – Performance.
16:00 – HB Soul – Documentário.
20:00 – Freesurfer – Performance.
21:15 – Somewhere – Performance.
22:30 – Twenty Thousand One Hundred Sixty Seconds – Performance.

Charlie Brown é o destaque nas ondas da Califórnia

O paulista Charlie Brown foi o destaque do primeiro do WQS seis estrelas da Califórnia. Ele, que está nos Estados Unidos pela primeira vez, tirou 9,67 e somou 16,67, as maiores nota e pontuação desta segunda-feira nas ondas de Huntington Beach. Dunga Neto, Paulo Moura, Wiggolly Dantas e Alejo Muniz também se classificaram. Gilmar Silva, Marcelo Trekinho e Danilo Costa foram eliminados.

- As condições estão ótimas. É minha primeira vez nos Estados Unidos. Estou muito feliz de ter conseguido duas notas tão boas – diz.

Resultados da primeira fase:

1: Kieran Horn (EUA) 12.43, Pablo Gutierrez (ESP) 10.27, Antonio Bortoletto (AFS) 9.34, Dane Johnson (EUA) 7.23
2: Dunga Neto (BRA) 13.17, Jacob Kirschenbaum (EUA) 11.67, Michael Spencer (EUA) 10.73, Michael Marjanovic (AUS) 4.74
3: Dusty Payne (HAV) 11.70, Chad Compton (EUA) 10.86, Daniel Jones (HAV) 6.30, Josh Montgomery (EUA) 5.53
4: Teppei Tajima (JAP) 13.33, David Rutheford (MEX) 13.33, Matt King (EUA) 8.83, Wesley Larsen (HAV) 6.70
5: Jesse Heilman (EUA) 12.37, Ricky Whitlock (EUA) 9.40, Granger Larson (HAV) 9.33, Luke Davis (EUA) 9.03
6: Micah Byrne (EUA) 15.17, Tommy O’Brien (EUA) 10.00, Adam Virs (EUA) 8.84, Gilmar Silva (BRA) 8.84
7: Paulo Moura (BRA) 14.40, Killian Garland (EUA) 12.50, Devon Tresher (EUA) 11.43, Rylan McCart 11.27
8: Nick Rozsa (EUA) 14.83, Brandon Ragenovich (EUA) 14.50, James Wood (AUS) 13.17, Mason Ho (EUA) 6.47
9: Shane Beschen (EUA) 16.00, Brad Ettinger (EUA) 11.33, Magnum Martinez (EUA) 11.17, Chase Wilson (EUA) 9.23
10: Wiggolly Dantas (BRA) 12.24, Kyle Knox (EUA) Bobby Morris (EUA) 10.47, Matt Mohagen (EUA) 7.94
11: Asher Nolan (EUA) 11.60, Zach Keenan (EUA) 10.17, Shaun Burrell (EUA) 9.83, Kyle Garson (EUA) 3.80
12: Justin Mujica (POR) 12.17, Macy Mullen (HAV) 7.94, Jason Collins (EUA) 7.84, Ezra Sitt (HAV) 5.10
13: Alejo Muniz (BRA) 15.34, Quinn McCrystal (EUA) 11.67, Cordell Miller (EUA) 7.86, Cory Whitlock (EUA) 5.84
14: Ola Elogram (HAV) 13.67, Izuki Tanaka (JAP) 12.90, Kai Barger (HAV) 12.47, Cory Arrambide (EUA) 8.77
15: Charlie Brown (EUA) 16.67, Sean Maceron (EUA) 12.17, Travis Beckmann (EUA) 11.26, Nat Young (EUA) 9.30
16: Wesley De Souza (EUA) 11.83, Torrey Meister (HAV) 11.16, Tyler Anderson (EUA) 9.33, Kevin Kapsky (HAV) 6.24
17: Kyle Ramey (HAV) 12.50, Michael Hoisington (EUA) 9.34, Marcelo Trekinho (BRA) 9.14, Sebastian Zietz (HAV) 7.63
18: Kiron Jabour (HAV) 15.67, Khy Vaughan (AUS) 10.23, Chris Drummy (EUA) 9.03, Che Stang (EUA) 7.20
19: Brent Reilly (EUA) 14.00, Sean Moody (HAV) 11.50, Danilo Costa (BRA) 8.17, Jason Shibata (HAV) 8.16
20: Alex Smith (HAV) 15.50, Blake Howard (EUA) 12.10, Dane Ward (EUA) 8.66, Kellen Ellison (USA) 7.10
21: Blake Jones (EUA) 13.05, Gavin Beschen (HAV) 11.66, Robin Frederic (REU) 10.77, Dylan Graves (PRI) 9.83
22: Jesse Merle-Jones (HAV) 12.83, Romain Cloitre (FRA) 12.50, Cody Thompson (EUA) 7.87, Ted Navarro (EUA) 6.64
23: Nils Schweizer (EUA) 11.00, Julian Wilson (AUS) 9.6, Dylan Melamed (HAW) 8.87, Richie Collins (EUA) 7.77
24: Abdel El Harim (MAR) 11.77, Casey Brown (HAV) 11.70, Tyler Stanaland (EUA) 10.50, Shea Lopez (EUA) 7.87


Fonte

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Bruno Santos vai encarar big riders em em Maresias

O niteroiense Bruno Santos, vencedor do WCT do Taiti, será um dos representantes brasileiros no Tow In Championships. Ele fará sua estréia na modalidade ao lado do carioca Marcelo Trekinho. O campeonato de ondas grandes será disputado na Praia de Maresias, em São Sebastião (SP), e distribuirá R$ 100 mil. A janela de espera vai até o dia 30 de novembro.

A lista oficial foi divulgada nesta sexta-feira. Alguns dos maiores big riders do mundo confirmaram presença. Entre os nomes de peso, o taitiano Manoa Drollet, que perdeu para Bruninho na final do WCT, e Garrett McNamara, surfista que pegou onda gigante no Alasca. O time brasileiro terá Carlos Burle, Eraldo Gueiros, Rodrigo Resende, Everaldo Pato, entre outros.


Duplas:
1. Rodrigo Resende / Danilo Couto (BRA)
2. Carlos Burle / Eraldo Gueiros (BRA)
3. Haroldo Ambrósio / Jorge Pacelli (BRA)
4. Sylvio Mancusi / Alemão de Maresias (BRA)
5. Everaldo Pato / Yuri Soledad (BRA)
6. Rodrigo Koxa / Vitor Faria (BRA)
7. João Capilé / Dê da Barra (BRA)
8. Stefan Figueiredo / Rafinha (BRA)
9. Garrett Mcnamara / Kealii Mamala (HAV)
10. Jamie Sterling / Mark Visser (HAV)
11. Coco Nogales / Manoa Drollet (MEX / TAH)
12. Ross Clark Jones / Ian Walsh (AUS/HAV)
13. Grant Backer / Greg Long (AFS/ EUA)
14. Ramon Navarro / Christian Merello (CHI)
15. Dan Moore / Mark Anderson (HAV)
16. Mike Parsons / Bred Gerlach (EUA)
17. Luis Roberto Formiga / Flavio Caixa D’água (BRA)
18. Bruno Santos / Marcelo Trekinho (BRA)
19. Paulo Moura / Marco Polo (BRA)
20. Aldemir Calunga / Eric Miyakawa (BRA)
21. Eduardo Guimarães / Eduardo Chepa (BRA)

Fonte

Jihad Khodr Hot Buttered

Paulo Derengoski, local de Pontal do Paraná, levou o título da categoria Júnior na quarta etapa do Circuito Paranaense - "Taça Jihad Khodr Hot Buttered", que aconteceu na Ilha do Mel neste domingo.

Paulo Derengoski derrotou na final Júnior Sartori (vice), com João Marcos em terceiro e Luiz Conceição em quarto lugar.

Sandriel Foguinho levou na categoria Iniciantes. O vice foi o atleta foi Alan Borges. A terceira colocação foi para Wesley Richard e em quarto lugar, Matheus Ribeiro.

Na categoria Mirim, Júnior Sartori garantiu o primeiro lugar. Jonathan de Souza, ficou em segundo lugar, com Luiz Conceição e João Marcos nas demais posições.

Na Grommets, o campeão da foi Gustavo Ramos. O vice-campeão foi Yago Dora, com Gustavo Valentim em terceiro e Aminandes Pamplona no quarto lugar.

Entre as meninas, a liderança de foi de Jéssica Bianca, Em segundo lugar ficou Camila Ribeiro, com Andressa Carvalho e Carol Borges completando o pódio.

O bicampeão brasileiro Jihad Khodr, e que tem a honra de dar seu nome ao circuito, esteve presente aos dois dias de campeonato na Ilha e pôde conversar com a molecada sobre sua experiência na África do Sul, pois ele chegou ao Brasil e foi diretamente para a Ilha.

Durante o campeonato foi realizada campanha ecológica, uma parceira da FPS e o IAP – Instituto Ambiental do Paraná. A prova previa que as seis equipes inscritas juntassem o maior número de bitucas de cigarro e ganhariam a camiseta do campeonato de surfe e adesivos da FPS. A campeã da gincana foi a equipe de João Paulo Valentim e de Alex Ribeiro, que conseguiu juntar 293 bitucas em meia hora. Só por curiosidade: as equipes juntaram mais de 600 bitucas de cigarro.

O circuito é uma realização da Federação Paranaense de Surf e conta com o apoio do Hot Buttered e da Prefeitura Municipal de Paranaguá, Fundação Municipal de Turismo, Prefeitura Municipal de Matinhos, Governo do Estado do Paraná, Paraná Esporte, D'Vicz Sorvetes, R.Guttierres Surf Shop, Restaurante Mariscão, Rádio Transamérica POP e site Surfjá.


Fonte

Circuito de Surf Profissional

O cabofriense Victor Ribas, ex-top da elite mundial, o WCT, conquistou o título da primeira etapa do Circuito de Surf Profissional, que terminou neste domingo, na Praia do Arpoador, no Rio de Janeiro. Ribas sobrou nas boas ondas de quase um metro de altura e venceu a bateria final, deixando o paulista Edgar Bischoff na segunda posição. O niteroiense Bruno Santos, em terceiro, e o cearense Duda Carneiro completaram o pódio.

- É muito bom saber que ainda posso competir e ganhar dessa galera toda, jovens talentos brasileiros, mais uma vez numa das melhores ondas do Brasil. Ganho muita motivação com esse título. Parabéns a todos os competidores, o nível técnico está muito alto - disse Ribas, de 36 anos, que ainda quer brigar para voltar ao WCT.

Bruno Santos, que neste ano colocou o Brasil no topo do pódio do WCT, depois de seis anos sem vitórias, competiu pela primeira vez no Rio de Janeiro após o feito, mas teve de driblar uma quilha quebrada na última bateria do dia.

- Não dei muita sorte na final, mas é sempre bom estar no pódio em casa. Minha família e amigos estão todos aqui na praia. As condições melhoraram e hoje (domingo) tiveram ondas muito boas surfadas - contou Bruninho.

Com a falta de condições para realização da categoria feminina, as 16 meninas inscritas na competição dividiram a 13º colocação e os 10 mil reais em prêmios, sendo 625 reais para cada atleta.

- Como na sexta-feira não teve onda, o cronograma do campeonato ficou prejudicado. Mostramos para as meninas que as condições não estavam boas no final do dia, o que atrapalharia o andamento das baterias. Seria forçar uma barra. Conversamos com a Brigitte Mayer, representante das competidoras, e apresentamos a opção de transferir a pontuação e prêmio para as outras duas etapas, mas elas preferiram a opção de dividir a pontuação e premiação desta -disse Pedro Falcão, diretor de prova.

Fonte

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Lista oficial do Red Nose Tow-in Championship

A lista oficial do Red Nose Tow-in Championship, maior evento de tow-in já realizado em águas brasileiras, foi divulgada.

A competição será realizada em Maresias, São Sebastião (SP). O prazo de espera começou no último dia 1 de julho e vai até 30 de novembro.

Nomes de peso no cenário mundial do esporte já garantiram suas vagas na competição e aguardam as condições ideais para entrarem em ação, já que o evento só será realizado com ondas de no mínimo três metros.

Atletas internacionais como Manoa Drollet, Garret McNamara, Jamie Sterling, Ross Clark Jones, Ian Walsh, Brad Gerlach e Mike Parsons, estão entre as principais estrelas do evento.

O time brasileiro será representado por surfistas de renome, como os atuais vice-campeões mundiais Carlos Burle e Eraldo Gueiros; Rodrigo Resende (campeão do Tow-in World Cup) e Danilo Couto; além do campeão da etapa taitiana do WCT Bruno Santos, que estréia uma nova dupla com o top do Circuito Brasileiro Profissional Marcelo Trekinho.

O campeonato distribui R$ 100 mil, uma das maiores premiações já oferecidas em um campeonato da modalidade no mundo, sendo que cada dupla que comparecer já recebe R$ 1 mil de bonificação, com exceção das três primeiras colocadas, que recebem a premiação pelos resultados.

O diretor de marketing da Red Nose, André Bianchi, explica que a idéia de fazer o campeonato é antiga e surgiu em uma sessão de tow-in em Maresias, praia considerada como uma das melhores do Brasil para a prática da modalidade.

Ele conta que o tow-in tem tudo a ver com o perfil da marca, voltada para as principais tendências do conceito "Extreme". O trabalho de desenvolvimento do evento já é realizado desde janeiro desse ano.

"Os atletas estão sendo bastante receptivos com a idéia do evento. Todos ficaram interessados em participar e teremos grandes atrações dropando as maiores em Maresias", diz Bianchi que enfatiza a importância de uma ampla janela de espera.

"É um evento no qual a intenção é prestigiar os atletas. Queremos que ele seja realizado em ótimas condições e não tivemos dúvidas na hora de planejar uma janela de espera com um período bastante extenso. Nossa prioridade é a performance", explica Biachi.

A procura por uma vaga é tão grande que, para elevar o nível técnico da competição, os organizadores estão fazendo uma triagem para selecionar as duplas alternates.

“Estamos planejando a lista de alternates para não cometer injustiças. Queremos ser o mais justos possíveis com todos”, afirma Bianchi.

O tow-in, modalidade na qual o surfista é rebocado por um jet-ski para obter velocidade e entrar em ondas grandes, já se consolidou como umas das modalidades que mais evoluem no surf mundial.

Tendo como precursores nomes como Laird Hamilton, Darrick Doerner, Buzzy Kerbox, Garret McNamara, Dave Kalama e o lendário Gerry Lopez, esse tipo de surf começou por volta de 1986, com algumas experiências de Herbie Fletcher, renomado waterman havaiano que puxou Martin Potter e Tom Carrol para dentro de algumas ondas em Pipeline, Hawaii.

Red Nose Tow-in Championship

Premiação
1º Lugar - Jet-ski Yamaha no valor de R$ 32 mil + R$ 8 mil em dinheiro.
2º Lugar - Jet-ski Yamaha no valor de R$ 32 mil.
3º Lugar - R$ 10 mil em dinheiro.


Lista oficial de convidados

1 Rodrigo Resende / Danilo Couto (Bra)
2 Carlos Burle / Eraldo Gueiros (Bra)
3 Haroldo Ambrósio / Jorge Pacelli (Bra)
4 Sylvio Mancusi / Alemão de Maresias (Bra)
5 Everaldo Pato / Yuri Soledade (Bra)
6 Rodrigo Koxa / Vitor Faria (Bra)
7 João Capilé / Dê da Barra (Bra)
8 Stefan Figueiredo / Rafinha (Bra)
9 Garrett Mcnamara / Kealii Mamala (Haw)
10 Jamie Sterling / Mark Visser (Haw)
11 Coco Nogales / Manoa Drollet (Mex / Tah)
12 Ross Clark Jones / Ian Walsh (Aus / Haw)
13 Grant Backer / Greg Long (Afr / EUA)
14 Ramon Navarro / Christian Merello (Chi)
15 Dan Moore / Mark Anderson (Haw)
16 Mike Parsons / Bred Gerlach (EUA)
17 Luis Roberto Formiga / Flavio Caixa D’água (Bra)
18 Bruno Santos / Marcelo Trekinho (Bra)
19 Paulo Moura / Marco Pólo (Bra)
20 Aldemir Calunga / Eric Miyakawa (Bra)
21 Eduardo Guimarães / Eduardo Chepa (Bra)

Fonte

Sul Center de Longboard

O Sul Center de Longboard, válido como segunda etapa do Circuito Paranaense de Longboard, rolou no último domingo (13/7), no pico de Matinhos (PR).

O evento contou com disputas em sete categorias: Estreantes, Aspirantes, Sênior, Open Feminino, Master, Júnior e Open.

Depois de se tornar mãe, Thiara Mandelli volta em grande estilo para vencer a segunda etapa consecutiva na categoria Feminino.

A nova geração catarinense, Caio Husadel, João Marques e Gabriel Vitorino, deu um verdadeiro show de surf no pico.

Local de Itapema (SC), João Marques faturou a Open de virada, na última onda.

Os catarinenses Caio Husadel e Gabriel Vitorino marcaram presença na prova vencendo as categorias Aspirantes e Mirim, respectivamente.

Já na Master, o vencedor foi o local Túlio Crisanto. O paulista Tremembé conquistou o primeiro lugar na Sênior e Luciano Nunes faturou a Estreantes.

Os grandes campeões levaram para casa pranchões, artigos de prata, capas e muitos outros acessórios.

O sucesso desta etapa mostra a competência da Associação Paranaense de Longboard (APL), que a cada dia cresce com o trabalho incansável de sua equipe.

O Sul Center de Longboard conta com patrocínio de Sul Center. Co-patrocínios: Tide Rise, H2O Cosméticos, RaphaSilk, Arte Final, Momentum Surf Brasil, SKS Surf Wear, Restaurante Mariscão, Shaper Guga, Diesel Glass, Aura Pratas, Paulista Surf-Shop, D´Vicz Marketing esportivo, Make Comunicações, Barth Calçados, Técnicopias, Situ Acrílicos e Prefeitura Municipal de Matinhos. Realização: Associação Paranaense de Longboard. Supervisão: Federação Paranaense de Surf.

Resultados

Estreantes
1 Luciano Nunes
2 Vinicius Afonso
3 Rodrigo Mendes
4 Rafael Marconi

Aspirantes
1 Caio Husadel
2 Paulo Padaki
3 Josimar Pita
4 Helio Batata

Sênior
1 Tremembé
2 Rogério Gordaines
3 Nabor Junior
4 Vinicius Hirata

Open Feminino
1 Thiara Mandelli
2 Jessica Schmtz
3 Jessica Bianca
4 Karol Cavallari

Master
1 Túlio Crisanto
2 Marcio Costa
3 Fabio Roberto
4 João Sul Center

Júnior
1 Gabriel Vitorino
2 Cesar Teixeira
3 João Marques
4 Rafael Marconi

Open
1 João Marques
2 Vinicius Hirata
3 Tremembé
4 Rogério Gordaines

Fonte

Arpex recebe profissional de surfe do Rio nesta sexta

Campeonato traz elite brasileira do esporte de volta ao Rio em busca de farta premiação e pontos para os rankings estadual e brasileiro. Dia marca também o primeira aula no mar para os alunos do projeto Especialmente Surf, para deficientes visuais

Com presença de surfistas da elite brasileira, começa nesta sexta-feira (18/7) e vai até domingo (20/7), nas ondas tradicionais do Arpoador, a primeira etapa do Circuito Estadual de Surf Profissional do Rio. O evento, que decidirá os campeões do Estado do Rio de Janeiro em 2008, contará com a excelente premiação de R$ 40 mil (R$ 30 mil no masculino e R$ 10 mil no feminino) e os pontos para os rankings estadual e brasileiro de acesso (Brasil Tour), atraiu nomes como Bruno Santos, que competirá no Rio pela primeira vez após vencer o WCT do Tahiti (elite mundial), e os ex-tops mundiais Guilherme Herdy, Pedro Henrique, Raoni Monteiro, Victor Ribas e Yuri Sodré. As baterias começam às 8h.

Simão Romão, Gustavo Fernandes, Guga Arruda, Flávio Costa, Jano Belo, Pablo Paulino, Leandro Bastos, Adilton Mariano, Anselmo Corrêa, Stephan Figueiredo, Eric de Souza e Claudemir Lima também já confirmaram presença na disputa, que coloca novamente o Rio de Janeiro em destaque no cenário do surfe nacional. Entre as meninas, Brigitte Mayer, Diana Cristina, Gabriela Teixeira, Michelle de Bouillons, Alcione Silva e Krisna de Souza são alguns dos destaques. O Circuito é o único regional profissional do país com a categoria feminina.Atual campeão carioca e número um do Rio de Janeiro em 2008, Gustavo Fernandes acaba de conquistar o segundo lugar numa final do Super Surf, a Primeira Divisão do surfe brasileiro. Ele chega como um dos favoritos para a etapa de estréia do circuito.

"Já tem muito tempo que não disputo uma competição no Arpoador e foi lá que me dei bem quando entrei para o Super Surf. Gosto muito da onda, uma esquerda que abre bem, bastante longa. Quero vencer e dar um passo importante rumo ao título estadual. Essa etapa muito será importante, pois vale muitos pontos. Já estava na hora do Rio ter um circuito desse porte. É uma cidade 100% surfe, merecia mesmo, e eu quero muito esse título", diz Guga.

A grande novidade do evento é o projeto "Especialmente Surf. O Surf Visto com Outros Olhos", voltado para deficientes visuais. A iniciativa vai capacitar 12 alunos do Instituto Benjamim Constant (IBC), com vários graus de deficiência visual. Eles e o professor Pedro Cunha têm o desafio de aprenderem a surfar em menos de quatro meses, pois irão competir entre si na última etapa do Circuito, na Barra da Tijuca, em novembro.

Ainda nesta sexta-feira, os alunos do "Especialmente Surf" fazem sua primeira aula no mar, marcada para as 14h. No sábado (19/7), segundo dia de competição desta primeira etapa, eles serão as estrelas do campeonato, que será paralisado às 12h para outra apresentação.


Fonte

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Burle é Brasil na África

Foi divulgada na última quarta-feira a lista de convidados para a edição de aniversário do Red Bull Big Wave Africa, tradicional campeonato de ondas grandes na remada que completa 10 anos em 2008.

O Red Bull BWA é um dos eventos de ondas grandes mais antigos do calendário mundial, previsto para ser realizado anualmente no pico de Dungeons, Cidade do Cabo, África do Sul, ficando atrás somente do campeonato em memória do lendário salva-vidas havaiano Eddie Aikau, que acontece na baía de Waimea, no Hawaii.

O Red Bull BWA teve nos últimos nove anos apenas três vencedores: Sean Holmes em 2000; Greg Long em 2003 e John Whittle em 2006.

Na edição 2008 do Red Bull BWA teremos a mistura de atletas relativamente novos no cenário das big waves como os havaianos Mark Healey e Ian Walsh, que competirão com nomes consagrados do calibre de Carlos Burle - único brasileiro na lista do Red Bull BWA - e do australiano Ross Clarke-Jones.

A janela de espera da edição 2008 do Red Bull Big Wave África vai de 24 de julho a 31 de agosto, período em que os diretores de prova, Gary Linden e Jonathan Paarman, estarão monitorando e avaliando os grandes swells na região a fim de realizarem o evento quando as condições em Dungeons estiverem compatíveis, apontando para grandes séries quebrando na bancada sul-africana.

O website do evento, que conta com perfil dos atletas, lista de convidados, fotos, vídeos e informações das edições anteriores do evento está disponível a partir do dia 17 de julho. Confiram abaixo a listra principal dos 24 big riders escalados para o Red Bull Big Wave Africa.

1 Sean Holmes (Afr)
2 Greg Long (EUA)
3 Grant Baker (Afr)
4 Carlos Burle (Bra)
5 Jason Ribbink (Afr)
6 Grant Washburn (EUA)
7 Chris Bertish (Afr)
8 Peter Mel (EUA)
9 Andrew Marr (Afr)
10 Paul Paterson (Aus)
11 John Whittle (Afr)
12 Jamie Sterling (Haw)
13 David Smith (Afr)
14 Ross Clarke-Jones (Aus)
15 Mickey Duffus (Afr)
16 Tyler Smith (EUA)
17 Simon Lowe (Afr)
18 Mark Healey (Haw)
19. Ian Armstrong (Afr)
20 Anthony Tashnick (EUA)
21 James Taylor (Afr)
22 Ramon Navarro (Chi)
23 Charles Reitz (Afr)
24 Ian Walsh (Haw)

Foto: Site Red Bull BWA
Fonte carlosburle.com

Kelly Slater vence na África do Sul e dispara no ranking

O octacampeão mundial deixou Mick Fanning em combinação na final. Mineirinho parou nas quartas, vencido pelo campeão.

Kelly Slater é mesmo um fenômeno. O americano e oito vezes campeão mundial está cada vez mais perto de conquistar, muito provavelmente por antecipação, o título mundial de 2008. O nono de sua incrível carreira.

Esta manhã, 17 de julho, Kelly derrotou Mick Fanning na final da quinta etapa desta temporada. A final foi disputada em Jeffrey’s bay, na costa leste da África do Sul. As ondas estiveram muito boas durante quase todo o campeonato, mas pioraram bastante no último dia de competição depois que um vento maral estragou as condições.

A bateria final foi disputada em ondas mexidas com cerca de 4 pés. Slater deixou Fanning em combinação – precisando de duas ondas melhores pra somar mais pontos que seu adversário na final. Foi a segunda vez nesta temporada que Kelly derrotou Mick numa final e a quarta vitória de Slater em Jeffrey’s bay, fato que garante ao americano o recorde de maior vencedor desta etapa na história.

J-bay foi uma espécie de raio x desta temporada. Quando a superioridade de Slater sobre seus adversários vem sendo inquestionável. Pelo menos estatisticamente não existem dúvidas sobre a forma imbatível que Slater exibiu durante a primeira metade desta temporada.

Além de ter vencido quatro das cinco primeiras etapas deste ano, em 2008 Kelly ainda não foi derrotado por nenhum dos top 45. O único surfista a tê-lo derrotado numa bateria do WCT nesta temporada foi o tahitiano Manoa Drolet, wild card na etapa tahitiana deste ano.

Agora a pergunta que não quer calar: quando Kelly vai acabar de vez com as chances matemáticas de seus adversários e vencer o tíitulo mundial por antecipação? Com quatro vitórias em cinco etapas disputadas, e restando apenas mais seis provas no calendário 2008 , Kelly está muitos pontos na frente de Joel Parkinson, atual segundo colocado no ranking do WCT.

Na África do Sul Adriano Minerinho foi novamente o melhor brasileiro. O paulista chegou em mais uma quarta de final em J-bay, a terceira na sua carreira – e apesar de cair duas posições no ranking, agora está em sexto lugar, continua entre os top 10.

Joel Parkinson e Taj Burrow acabaram em terceiro lugar na etapa de Jeffrey’s bay. Com este resultado, Joel continua em segundo no ranking, enquanto Taj ultrapassou Mineirinho e agora está em quinto lugar. Bede Durbidge é o atual terceiro colocado, enquanto Mick Fanning está em quarto lugar no ranking do WCT após a disputa da quinta prova desta temporada.

A próxima etapa será disputada nas esquerdas de Uluwattu, na ilha de Bali, entre os dias 30 de julho e 10 de agosto.

Final:

Kelly Slater (EUA) 16,73 x 9,40 Mick Fanning (AUS)

Semifinais

Kelly Slater (EUA) 15,00 x 14,17 Joel Parkinson (AUS)
Mick Fanning (AUS) 16,84 x 11,83 Taj Burrow (AUS)

Quartas-de-final

Joel Parkinson (AUS) 17,74 x 14,00 Bede Durbidge (AUS)
Kelly Slater (EUA) 15,17 x 9,84 Adriano de Souza (BRA)
Mick Fanning (AUS) 14,27 x 9,60 C.J. Hobgood (EUA)
Taj Burrow (AUS) 13,57 x 8,47 Andy Irons (HAV)

Brasileiros no WCT:

6 Adriano de Souza
28 Heitor Alves
32 Neco Padaratz
32 Leonardo Neves
39 Rodrigo Dornelles
42 Jihad Khodr

Texto: Rosaldo Cavalcanti


Fonte

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Mineirinho brilha em Jeffreys

O paulista Adriano Mineirinho está nas quartas-de-final do Billabong Pro 2008, etapa do WCT que acontece nas direitas geladas de Jeffreys Bay, África do Sul.

Com duas boas atuações, o surfista do Guarujá não deu chance aos adversários nas ondas de até 1,5 metros e boa formação.

Depois de bater o aussie Michael Campbell na terceira fase, Mineirinho ditou o ritmo no duelo contra o norte-americano Bobby Martinez nas oitavas.

Com fortes ataques de frontside, o brazuca comandou as ações logo nos primeiros minutos e somou 7.50 e 6.83 para complicar a situação do adversário.

Martinez não entrou em sintonia com as ondas e foi presa fácil para Mineirinho, que nas quartas encara o norte-americano Kelly Slater, autor de duas belíssima apresentações nesta quarta-feira.

Na terceira fase, Slater registrou 19.14 pontos para bater o sul-africano Travis Logie. Em seguida, totalizou 18.03 na vitória sobre o aussie Tom Whitaker.

Os outros brazucas que entraram em ação nesta quarta não tiveram o mesmo desempenho de Adriano.

Leo Neves caiu diante do aussie Bede Durbidge na primeira bateria do dia, enquanto Heitor Alves perdeu a chance de derrotar o tricampeão mundial Andy Irons na terceira fase.

Leo surfou apenas duas ondas fracas (3.50 e 4.13). Bede, com 6.50 e 6.37, colocou o brazuca na desconfortável situação de precisar de 8.20 para virar o resultado.

Com o 17o lugar na etapa, Leo Neves soma 410 pontos para o ranking e embolsa US$ 5.4 mil de prêmio.

O mesmo acontece com Heitor Alves, que falhou na escolha de ondas e foi eliminado por Andy Irons.

O cearense chegou a liderar o confronto com notas 5.83 e 3.83, mas Andy reagiu ao surfar uma onda da série e a arrancar dos juízes 7.67.

Precisando de 4.84 para virar, Heitor não soube aproveitar a prioridade nos minutos finais e apostou numa onda muito ruim.

O Billabong Pro deve ser reiniciado nesta quinta-feira, às 2 horas (horário de Brasília), com as baterias pendentes das oitavas-de-final.

Resultados da terceira fase
1 Bede Durbidge (Aus) 12.87 x 7.63 Leonardo Neves (Bra)
2 Luke Stedman (Aus) 12.34 x 11.33 Roy Powers (Haw)
3 Kai Otton (Aus) 15.00 x 12.00 Jay Thompson (Aus)
4 Joel Parkinson (Aus) 14.00 x 11.50 Daniel Wills (Aus)
5 Adriano de Souza (Bra) 11.83 x 5.40 Mick Campbell (Aus)
6 Bobby Martinez (EUA) 15.00 x 10.67 Luke Munro (Aus)
7 Tom Whitaker (Aus) 10.47 x 6.17 Taylor Knox (EUA)
8 Kelly Slater (EUA) 19.14 x 12.06 Travis Logie (Afr)
9 Mick Fanning (Aus) 16.50 x 11.16 Ben Bourgeois (EUA)
10 Bruce Irons (Haw) 9.50 x 8.33 Dayyan Neve (Aus)
11 C.J. Hobgood (EUA) 10.20 x 6.50 Kieren Perrow (Aus)
12 Fredrick Patacchia (Haw) 14.50 x 11.50 Adrian Buchan (Aus)
13 Taj Burrow (Aus) 18.34 x 11.16 Royden Bryson (Afr)
14 Jordy Smith (Afr) 16.17 x 8.73 Dean Morrison (Aus)
15 Andy Irons (Haw) 10.50 x 9.66 Heitor Alves (Bra)
16 Jeremy Flores (Fra) 15.00 x 12.07 Chris Ward (EUA)

Oitavas-de-final
1 Bede Durbidge (Aus) 12.33 x 8.56 Luke Stedman (Aus)
2 Joel Parkinson (Aus) 15.44 x 15.17 Kai Otton (Aus)
3 Adriano de Souza (Bra) 14.33 x 5.84 Bobby Martinez (EUA)
4 Kelly Slater (EUA) 18.03 x 10.67 Tom Whitaker (Aus)
5 Mick Fanning (Aus) x Bruce Irons (Haw)
6 C.J. Hobgood (EUA) x Fred Patacchia (Haw)
7 Taj Burrow (Aus) x Jordy Smith (Afr)
8 Andy Irons (Haw) x Jeremy Flores (Fra)

Baterias já definidas das quartas-de-final
1 Bede Durbidge (Aus) x Joel Parkinson (Aus)
2 Adriano de Souza (Bra) x Kelly Slater (EUA)

WCT ao vivo em J-Bay

.




Quer conferir o que ta rolando ao vivo em J-Bay então CLIQUE AQUI!










.

Paradoxo no shape room

Atualmente, a maioria das pranchas produzidas no mundo é feita de blocos de poliuretano revestidos com fibra de vidro e resina poliéster, materiais comprovadamente tóxicos, poluentes e inflamáveis. De acordo com o site da Association Clean Shaper, cerca de 600 mil pranchas são produzidas por ano por este método. Até hoje, poucas experiências foram realizadas para tentar reverter este tóxico processo e encontrar formas de dar um fim ecológico aos resíduos gerados, incluindo pranchas velhas. Segundo especialistas, são desperdiçados até 50% da matéria-prima usada na confecção de uma prancha.

No Brasil, o resultado disso correspondente a cerca de 380 toneladas de substâncias tóxicas e inflamáveis depositadas por ano em "lixões" ou aterros simples, sem qualquer tratamento ambiental. Rígidas políticas de controle ambiental da Califórnia levaram ao fechamento, em dezembro de 2005, da gigante mundial Clark Foam, à época detentora de 90% do mercado norte-americano e cerca de 60% do mercado mundial de blocos de poliuretano.

Em busca de soluções

E no resto do mundo, algo está sendo feito para reverter esse quadro? Por enquanto, pode-se falar apenas em ações isoladas, mas já é um começo para uma mudança de consciência. O primeiro passo seria encontrar formas de minimizar os impactos gerados pelo processo tradicional de fabricação. "Apesar de os processos industriais terem evoluído muito nas últimas décadas, as fábricas de pranchas ainda operam praticamente da mesma maneira que há 40 anos", atesta o surfista Paulo Eduardo Grijó, coordenador do Projeto Marbras et Mundi (Movimento Associativo de Reciclagem Brasileira no Surf e no Mundo).

Mestre em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal de Santa Catarina, Grijó sistematizou uma metodologia para minimizar o consumo de água, energia elétrica e geração de resíduos no processo fabril das pranchas de surf, além de pesquisar e criar métodos para a recuperação dos resíduos gerados. "Outra prerrogativa deste estudo é maximizar recursos naturais não renováveis, transformando o lixo industrial não eliminável em matéria-prima de segunda geração econômica, com o objetivo de valorizar estes materiais, gerar renda, novos produtos e novas oportunidades de trabalho", explica o engenheiro ambiental.

Na França, a Association Clean Shaper há três anos vem empregando recursos, tempo e energia na busca de novas soluções. "O franco-brasileiro Alexandre de Sonis é um dos responsáveis e já trocamos bastantes figurinhas sobre o assunto", conta Grijó.

Materiais alternativos

O segundo passo consiste em concentrar esforços na busca por materiais alternativos. Neste campo, uma forte tendência é a utilização cada vez maior do EPS (isopor) e da resina epóxi, menos tóxicos que o poliuretano e a resina poliéster e que podem ser reciclados. Há mais de 15 anos o shaper paulista Mario Ferminio se dedica ao aprimoramento dessa técnica. Em 2005 ele decidiu se mudar para Tubarão, em Santa Catarina, onde construiu uma nova fábrica e concebeu um método de produção ecologicamente correto. Hoje Ferminio afirma que consegue reciclar boa parte do lixo que gera.

"Minha fábrica possui estação de tratamento da água usada no polimento e um exaustor que capta e canaliza o pó gerado na lixa seca para um depósito. Além disso, para diminuir o consumo de madeira, passei a usar uma longarina de 3 mm no lugar de 6 mm. Tive que melhorar a qualidade do bloco e do tecido, mas compensa", afirma o shaper.

Recentemente, a multinacional alemã Bayer entrou no mercado com uma nova opção de matéria-prima para a produção de blocos de poliuretano, cuja fórmula substitui o tóxico TDI (Tolueno diisocianato) pelo MDI (Difenil Metano diisocianato), muito menos tóxico e menos agressivo à saúde que o primeiro, segundo os técnicos da Bayer. O novo bloco está em fase final de testes e será comercializado a partir de novembro pela Ocean King, com sede em São Paulo. "Nossa tecnologia é 100% nacional e não utiliza o gás CFC, prejudicial à camada de ozônio. Os resultados obtidos até agora são promissores", adianta Murilo Oliveira, proprietário da empresa.

Outros tipos de materiais também já foram experimentados na confecção de pranchas. A tradicional madeira (oca ou compensada), o softboard (bloco de poliestireno de alta densidade revestido com espuma de polietileno de célula fechada), a tecnologia desenvolvida pela Surftech, feita em molde com espuma expandida e resina epóxi, e até alguns tipos de materiais orgânicos como bambu, fibra de cannabis e um tipo de cipó encontrado na Amazônia. O shaper australiano Frank McWilliams, da Bamboo Surfboards, reveste blocos de EPS com uma espécie de lâmina de bambu e cobre com resina epóxi. Inclusive, o havaiano Sunny Garcia já venceu uma etapa do WCT em Bell's Beach usando uma das pranchas de Williams.

O renomado shaper Jim Banks decidiu experimentar a fibra de cannabis como alternativa. "Em 96, meu corpo já não suportava mais os efeitos de tanta química e fiquei desiludido com a toxicidade da indústria. Passei um tempo fora e quando voltei a Austrália, dediquei alguns anos ao desenvolvimento de uma tecnologia à base de fibra de cannabis. Infelizmente, acabaram os recursos para continuar a pesquisa", escreveu Banks em seu site. No entanto, um grupo britânico com foco ambiental, chamado Eden Project, produziu uma legítima "eco-board" apenas com materiais provenientes da natureza. Depois de shapeado, o bloco de madeira balsa é coberto com uma camada de fibra de cannabis que é laminada com um composto de resina derivado do óleo de uma planta.

Seguindo essa tendência, Grijó está iniciando uma pesquisa para tentar criar blocos a partir de fibras vegetais. "Nessa busca, encontrei uma que vem da Amazônia, de um cipó chamado Jagube, muito resistente e ao mesmo tempo flexível", explica. Para revestir, ele está pesquisando uma resina que é sintetizada a partir da casca de banana. "Os esforços são preliminares, mas a busca é incansável e na medida do possível vamos ceifando a lavoura da sustentabilidade. Aposto minhas fichas no poliuretano biodegradável utilizando óleos vegetais", diz Grijó.

Criatividade a serviço da ecologia

Às vezes, basta um pouco de criatividade para driblar as inconveniências da indústria. O artista plástico Darin Pappas, californiano que há alguns anos vive no Rio de Janeiro, decidiu dar um novo destino às pranchas velhas ou quebradas.
Com muito talento e inspiração, ele transforma esses verdadeiros "tocos" em belíssimas obras de arte, a que chama de "pranchas reencarnadas". As peças criadas por Pappas já rodaram o mundo em mostras e exposições.

"Uma prancha quebrada é apenas lixo, mas com memórias. Gosto de dar a elas novas identidades, sem esquecer que possuem histórias incríveis e já deram muitas alegrias aos seus antigos donos", comenta Pappas. Já os irmãos Igor e Jairo Lumertz, gaúchos que moram no Hawaii, fizeram um protótipo maluco com 85 garrafas pet, com quilhas feitas de CDs de música. Jairo inclusive usou a prancha na tradicional remada anual de Sunset até Waimea e fez sucesso entre o público.
Serviço

Marbras Et Mundi - paulosurfrecycle@yahoo.com.br
Association Clean Shaper - www.cleanshaper.com
Mario Ferminio - www.mfpranchaepoxi.com.br
Ocean King / Bayer - www.oceanking.com.br
Frank Williams / Bamboo - www.bamboosurfboards.com.au
Eden Project - www.edenproject.com/about/1364.html
Darin Pappas - www.ithaka.co.nr

Por Ricardo Macario - rmacario@edpeixes.com.br
(matéria publicada no Guia de Pranchas Fluir, outubro de 2007)

Fonte

Circuito Estadual de Longboard - Surfe em água limpa

Com ondas incríveis e água límpida, a praia da Macumba é o cenário perfeito para a primeira etapa do Circuito Estadual de Longboard, e um dos lugares mais procurados pelos surfistas no Rio de Janeiro. Em tempos onde a poluição afasta banhistas e destrói a beleza natural, essa acabou sendo uma das preocupações dos organizadores do evento.

A Fundação Estadual de Engenharia Ambiental (Feema) é responsável por realizar o monitoramento sistemático das praias, gerando informação aos freqüentadores. Duas vezes por semana profissionais especializados vão à Macumba colher amostras de água para análise bacteriológica. Além disso, às sextas-feiras, é feita uma inspeção visual para identificação de “línguas negras” – marcas de poluição que surgem na areia.

Segundo a chefe da Divisão da Qualidade de Água da Feema, a bióloga Fátima Soares, a boa classificação da praia da Macumba deve-se à ausência de fontes de contaminação direta e à geografia local. De acordo com ela, o Canal de Sernambetiba está a 200 m de distância da Macumba, mas, na maior parte do tempo, encontra-se fechado.

“Não há línguas negras, nem lançamento de esgoto na praia. Por ser uma área de baixada, quando chove, a água que limpa as ruas não chega ao mar”, acrescenta Fátima.

A poluição pode ser causada por saídas de água contaminada por esgoto ou por florações de algas, que vêm com a corrente do mar e permanecem se houver condições favoráveis. O problema prejudica principalmente crianças e idosos e surfistas, pois são mais propensos a ingerir água do mar contaminada, podendo contrair parasitas ou ter dermatites.

A Secretaria do Ambiente está investindo no saneamento básico da região. Além disso, entre outros órgãos, a Feema faz um estudo e mapeia os problemas que ainda precisam ser solucionados no local. Para ajudar, a população não deve deixar lixo e nem levar animais para as praias.

O Circuito Estadual de Longboard, que acontecerá nos próximos dias 26 e 27, é mais uma oportunidade para curtir as belezas da Praia da Macumba. O local escolhido, além de ser um dos picos lindos do Rio, certamente oferece ondas incríveis e água limpinha. Vale a pena conferir!

Para mais informações sobre as condições das praias acesse: www.feema.rj.gov.br ou ligue: 2274-5009.

Por Karen Meohas e Kate Moraes

Heitor perde para Andy Irons na terceira fase do WCT de Jeffreys Bay

O cearense Heitor Alves se despediu na terceira fase do WCT de Jeffreys Bay. Numa bateria difícil, ele pecou pela inexperiência diante do tricampeão mundial Andy Irons e viu o havaiano se classificar para as oitavas-de-final da etapa sul-africana do Circuito Mundial.

Andy e Heitor ficaram oito minutos boiando no outside. Heitor pegou a primeira onda da bateria, muito fraca (0,50), e perdeu a prioridade. O havaiano, então, pôde escolher à vontade. Mas não aproveitou. Sua primeira nota foi 2,83. Heitor deu o troco com um 3,83. Em sua segunda onda, o havaiano caiu e ganhou somente 1, 50.

A melhor onda de Heitor apareceu a 11 minutos. Numa longa direita, deu três rasgadas e ganhou 5,83. Três minutos depois, com prioridade, Andy pegou uma boa onda, muito veloz, com muitas rasgadas, e levou 7,67.

Heitor só precisava de um 4,68 para virar. Mas o brasileiro se precipitou. Foi em uma onda fraca, deixando uma boa, que vinha trás, para o havaiano. Andy não conseguiu trocar sua segunda nota – 2,83 -, mas ainda assim garantiu a vitória.



Terceira fase:

1: Bede Durbidge (AUS) 12,87 x 7,63 Leonardo Neves (BRA)
2: Roy Powers (HAV) 12,34 x 11,33 Luke Stedman (AUS)
3: Kai Otton (AUS) 15,00 x 12,00 Jay Thompson (AUS)
4: Joel Parkinson (AUS) 14,00 x 11,50 Daniel Wills (AUS)
5: Adriano de Souza (BRA) 11,83 x 5,40 Mick Campbell (AUS)
6: Bobby Martinez (EUA) 15,00 x 10,67 Luke Munro (AUS)
7: Tom Whitaker (AUS) 10,47 x 6,17 Taylor Knox (EUA)
8: Kelly Slater (EUA) 19,14 x 12,06 Travis Logie (AFS)
9: Mick Fanning (AUS) 16,50 x 11,16 Ben Bourgeois (EUA)
10: Bruce Irons (HAV) 9,50 x 8,33 Dayyan Neve (AUS)
11: C.J. Hobgood (EUA) 10,20 x 6,50 Kieren Perrow (AUS)
12: Fredrick Patacchia (HAV) 14,50 x 11,50 Adrian Buchan (AUS)
13: Taj Burrow (AUS) 18,34 x 11,16 Royden Bryson (AFS)
14: Jordy Smith (AFS) 16,17 x 8,73 Dean Morrison (AUS)
15: Andy Irons (HAV) 10,50 x 9,66 Heitor Alves (BRA)
16: Jeremy Flores (FRA) 15,00 x 12,07 Chris Ward (EUA)

Oitavas-de-final:
1. Bede Durbidge (AUS) x Roy Powers (HAV)
2. Kai Otton (AUS) x Joel Parkinson (AUS)
3. Adriano de Souza (BRA) x Bobby Martinez (EUA)
4. Tom Whitaker (AUS) x Kelly Slater (EUA)
5. Mick Fanning (AUS) x Bruce Irons (HAV)
6. C.J. Hobgood (EUA) x Fredrick Patacchia (HAV)
7. Taj Burrow (AUS) x Jordy Smith (AFS)
8. Andy Irons (HAV) x Jeremy Flores (FRA)

terça-feira, 15 de julho de 2008

Taça Farol de Bodyboard -2ª Etapa do Circuito UBCS

Altas ondas, sol e um excelente público marcaram as disputas da 2ª Etapa do Circuito UBCS 2008, realizada na praia do Farol de São Thomé,no último fim de semana.

A competição que contou com 4 categorias: amador masculino, amador feminino, mirim e iniciante, fez parte do Festival de Inverno da Secretaria de Indústria e Comércio e Turismo de Campos, e reuniu atletas de Rio das Ostras, Macaé, São João da Barra, Campos, Vila Velha, Guarapari e Cabo do Santo Agostinho - PE.

A final do Amador Masculino teve representantes de quatro cidades: o sanjoanense Thiago Correia, o capixaba Diego Pacheco, o rio-ostrense Adriano Minguta e o macaense André Andrade. Thiago e Diego Pacheco ficaram com o quarto e o terceiro lugar respectivamente, já o macaense André Andrade que no início chegou a liderar a bateria ficou na segunda colocação. O grande campeão foi Adriano Minguta, que soube esperar as melhores da série para arrancar uma nota 7.5 na sua segunda onda, garantindo assim mais 1000 pontos no ranking. Com a vitória Minguta assumiu a liderança do ranking, somando1.670 pontos, seguido pelo capixaba Diego Pacheco com 1.460.

Na categoria feminino a pernambucana Luiza Rosa venceu com tranquilidade. Entre os iniciantes o sanjoanense Hugo Alves começou liderando a bateria até que o rio-ostrense Bruno Araújo em sua quinta onda conseguiu uma nota 9, sagrando-se campeão.

Na mirim o atleta local do Farol, Dionathan Barroso, não deu chances aos seus adversários e fez uma excelente escolha de ondas ficando com o título.O macaense Walter Barcelos foi o vice, seguido por Gabriel Ramalho, em terceiro e o capixaba Eron Mello, em quarto. Gabriel Ramalho agora é o líder do ranking somando 1.730 pontos.

Confira os resultados:

Amador masculino:
1 - Adriano Minguta - Rio das Ostras
2 - André Andrade - Macaé
3 - Diego Pacheco - Vila Velha (ES)
4 - Thiago Correia - São João da Barra

Amador feminino:
1 - Luiza Rosa - Cabo de Santo Agostinho (PE)
2 - Luiza Sardinha - Campos

Mirim
1 - Dionathan Barroso - Farol
2 - Walter Barcelos - Macaé
3 - Gabriel Ramalho - Rio das Ostras
4 - Eron Mello - Guarapari

Iniciante
1 - Bruno Araújo - Rio das Ostras
2 - Hugo Alves - São João da Barra
3 - Gabriel Henriques - Vila Velha (ES)
4 - Lucas Fitarone - Macaé

Expression Session
Eron Mello

Por Sergio Luiz

Fonte

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Brasileiras seguem na briga

O segundo dia de disputas do Roxy ASP Women’s World Longboard Championship 2008 rolou neste sábado em boas ondas de até 1 metro em Biarritz, França.

Neste sábado a direção de prova colocou na água todos os confrontos da repescagem e as seis primeiras baterias da terceira fase.

Entre as brasileiras na briga pelo título mundial, apenas a catarinense Karina Abras e a carioca Cris Pires continuam com chances.

A catarinense Karina Abras encarou a francesa Justine Mauvin na sétima bateria da repescagem e se deu bem.

A catarinense totalizou 11.00 pontos em suas duas melhores ondas e despachou a francesa Justine Mauvin, que somou 9.00 pontos.

Na nona bateria foi a vez da carioca Cris Pires garantir participação na terceira fase da prova. Numa bateria de poucas ondas a carioca totalizou 7.50 pontos e eliminou a holandesa Marloes Elswijk.

Já a paranaense Sabrina Olas não teve tanta sorte e foi barrada pela norte-americana Rachel Barry na décima segunda bateria da repescagem pelo placar de 10.15 a 8.10pontos.

Quando a prova recomeçar, a catarinense Karina Abras encara a experiente francesa Claire Karabastos na décima bateria da terceira fase. Enquanto a carioca Cris Pires mede forças com a havaiana Miku Uemura na décima quarta bateria.

A direção de prova promove uma nova chamada para a realização das baterias complementares da terceira fase às 4 horas (horário de Brasília) deste domingo.

Roxy ASP Women’s World Longboard Championship 2008

Terceira fase

1 Rachel Barry (EUA) 9.25 x Crystal Dzigas (Haw) 9.00
2 Isabelle Braly (Aus) 10.85 x Selby Riddle (Aus) 6.90
3 Yuko Shimajiri (Jap) 5.65 x Helene Chabeaud (Fra) 3.40
4 Joy Monahan (Haw) 11.00 x Sarah Baum (Afr) 5.10
5 Schuyler Mc Ferran (EUA) 14.25 x Lindsay Steinriede (EUA) 11.25
6 Kassia Meador (EUA) 10.50 x Emma Neuschwanger (Reu) 7.60
7Kaitlin Maguire (EUA) x Kelly Nicely (EUA)
8 Jennifer Smith (EUA) x Roxy Towill (Afr)
9 Justine Dupont (Fra) x Carissa Moore (Haw)
10 Claire Karabatsos (Fra) x Karina Abras (Bra)
11 Jennifer Flannigan (EUA) x Nathalie Destandeau (Fra)
12 Leah Dawson (EUA) x Kelia Moniz (Haw)
13 Chelsea Williams (Aus) x Yuko Furuchi (Jap)
14 Miku Uemura (Haw) x Cris Pires (Bra)
15 Julie Cox (EUA) x Myriam Imaz (Esp)
16 Coline Menard (Fra) x Claire Dereux (Fra)


Fonte

Rodney, guerreiro do longboard o mundial de bodyboard

Chegou ao fim a etapa do mundial de bodyboard em Shark Island, Austrália. E um local fez a festa nas direitas de Cronulla Point.

Repetindo o feito do ano passado, Ben Player não deu chances aos adversários e consagrou-se bicampeão de um dos eventos mais temidos do circuito mundial.

A janela de espera para a finalização da etapa ia até o dia 20 de julho, no entanto, sem perspectivas de entrada de um novo swell, a direção de prova decidiu realizar as baterias finais no último sábado.

A competição começou com ondas que variavam de meio a 1 metro e formação irregular. Os brasileiros tiveram dificuldades para encontrar as melhores direitas e não conseguiram passar das quartas-de-final.

Logo na primeira disputa, o tricampeão de Shark Island, Guilherme Tâmega, caiu na água e ficou pelo caminho, sendo eliminado por Jonathan Vega, da Espanha, e Oliver Herrera, das Ilhas Canárias. O brasileiro terminou apenas na terceira posição da bateria e finalizou o evento em nono lugar.

Na terceira bateria das quartas, foi a vez de Magno Oliveira dar adeus ao evento. Maguinho não conseguiu superar o havaiano Mike Stewart, nove vezes campeão do mundo, e John Showell, da Austrália, e terminou o evento com a nona posição.

A grande decisão contou com três australianos, Ryan Hardy, Ben Player e John Showell, e um sul-africano, Mark McCarthy.

Mostrando conhecimento do pico e muita disposição para brigar pela título da temporada 2008, o aussie Ben Player garantiu o bicampeonato da etapa australiana. Com o título, o australiano faturou 1500 pontos no ranking IBA e mais US$ 3 mil de premiação.

Agora, o tour retorna ao Brasil. Entre os dias 24 e 27 de julho, a praia da Costa Azul, em Rio das Ostras, Rio de Janeiro, será palco da quarta etapa do circuito mundial de bodyboard, o Rio das Ostras Iternational 2008.

O evento promete fortes emoções na briga pelo título do circuito. A prova também é válida pela segunda etapa do tour mundial feminino.

Resultado

1 Ben Player (Aus)
2 Ryan Hardy (Aus)
3 Mark McCarthy (Afr)
4 John Showell (Aus)
9 Guilherme Tâmega (Bra)
9 Magno Oliveira (Bra)
17 Uri Valadão (Bra)
17 Paulo Barcellos (Bra)
25 Luís Villar (Bra)

Ranking depois de três etapas

1 Ben Player (Aus) 3178
2 Uri Valadão (Bra) 2945
3 Paulo Barcellos (Bra) 2600
4 Guilherme Tâmega (Bra) 2290
4 Luís Villar (Bra) 2290
6 Pierre Louis Costes (Fra) 2271
7 Hugo Pinheiro (Por) 2230
8 Amaury Laverhne (Fra) 2188



Fonte

Tops permanecem de folga em Jeffreys Bay

As ondas permanecem pequenas em Jeffreys Bay e a direção do Billabong Pro manteve a quinta etapa do WCT adiada nesta segunda-feira, na África do Sul.

Uma nova chamada será feita às 2:30 horas (horário de Brasília) desta terça-feira para avaliar as condições do mar.

A tendência é a de que um novo swell chegue à costa africana e possibilite o início das baterias da terceira fase.

Três brasileiros disputam a terceira fase. Leo Neves cai na primeira bateria contra o aussie Bede Durbidge. Adriano Mineirinho também disputa uma vaga na quarta fase contra outro aussie - Mick Campbell -, enquanto Heitor Alves disputa a bateria contra o havaiano Andy Irons.

Líder do ranking, o norte-americano Kelly Slater cai contra o local Travis Logie. Taj Burrow, da Austrália, campeão da prova em 2007, também disputa bateria contra outro local, Royden Bryson.

Terceira fase
1 Bede Durbidge (Aus) x Leonardo Neves (Bra)
2 Luke Stedman (Aus) x Roy Powers (Haw)
3 Kai Otton (Aus) x Jay Thompson (Aus)
4 Joel Parkinson (Aus) x Daniel Wills (Aus)
5 Adriano de Souza (Bra) x Mick Campbell (Aus)
6 Bobby Martinez (EUA) x Luke Munro (Aus)
7 Tom Whitaker (Aus) x Taylor Knox (EUA)
8 Kelly Slater (EUA) x Travis Logie (Afr)
9 Mick Fanning (Aus) x Ben Bourgeois (EUA)
10 Dayyan Neve (Aus) x Bruce Irons (Haw)
11 CJ Hobgood (EUA) x Kieren Perrow (Aus)
12 Adrian Buchan (Aus) x Fredrick Patacchia (Haw)
13 Taj Burrow (Aus) x Royden Bryson (Afr)
14 Dean Morrison (Aus) x Jordy Smith (Afr)
15 Andy Irons (Haw) x Heitor Alves (Bra)
16 Jeremy Flores (Fra) x Chris Ward (EUA)

Foto: Aleko Stergiou
Fonte

Federação promove curso para juízes de Bodyboarding.

No dia 18 de julho a Federação Paranaense de Bodyboarding, com o patrocínio da Lei de Incentivo ao Esporte da Prefeitura Municipal de Curitiba, promove a segunda edição do Curso Nacional de Juízes de Bodyboarding.

O curso terá base teórica e prática por meio de vídeos de competições de bodyboarding. O curso tem duração de 4 horas e acontece no dia 18 de julho (sexta-feira) a partir das 19 horas no Radisson Hotel, em Curitiba.

A inscrição pode ser feita até o dia de início do evento e custa R$ 25 para novos juizes e juizes oficiais do Brasil.

O projeto, criado para a realização do curso, foi qualificado dentro da Lei de Incentivo ao Esporte e apresentado à Secretaria de Esporte e Lazer de Curitiba (SMEL).

"É com grande prazer que realizamos pela segunda vez o curso de juízes. A FPB realiza o curso a fim de capacitar comissão técnica, atletas e interessados no esporte e desta forma fortalecer o bodyboarding paranaense”, diz Stéfano Triska, presidente da FPB.

Cronograma

19h00 – Abertura e Apresentações - Stéfano Triska / Luis Renato Angelis
19h30 – Básico1 – Stéfano Triska / Luis Renato Angelis – FPB Atual
20h00 – Básico1 – João Carlos Rigo – Regras de Eventos
20h30 – Básico2 – Rogério Bezerra Paes – Regras de Competição I
21h00 – Básico2 – Rogério Bezerra Paes – Regras de Competição I
21h30 – Intermediário – Rogério Bezerra Paes /João Carlos Rigo - Regras de Interferência
22h00 – Ofensivo/Dúvidas – Stéfano Triska/Luis Renato Angelis/João Carlos Rigo/Rogério Bezerra Paes – Prática com Vídeo
22h30 – Ofensivo/Dúvidas – Stéfano Triska/Luis Renato Angelis/João Carlos Rigo/Rogério Bezerra Paes – Prática com Vídeo
23h00 – Coquetel
24h00 – Finalizações



Serviço
2º Curso Nacional de Juízes
Data 18 de julho/2008
Local Radisson Hotel Curitiba – Av. Sete de Setembro, 5190 – Batel – Curitiba/PR

Inscrições R$ 25 para juízes novos e juízes oficiais do Brasil
Informações (41) 9992-6003, (41) 9977-5567 e (41) 3023-7900

Nextel: (41) 7813-1220 / ID 55*143*657


Fonte

Galvão leva a melhor

O título da etapa ubatubense do SuperSurf ficou em casa. O constante Renato Galvão fez as honras da casa ao derrotar o carioca Gustavo Fernandes


Para levar o caneco em casa Galvão marcou a boa média de 13.73 contra 9.43 de Guga.

O mar apresentou ondas com cerca de 1,5 metros e Galvão soube aproveitar sua experiência e conhecimento do Pico para vencer Guga, que nas semifinais passou com facilidade por Bruno Moreira pelo placar de 17.00 a 13. Já o ubatubense encarou Saulo Junior na primeira semifinal emplacando 10.37 contra 8.20 de Júnior.

Galvão afirmou que a vitória em casa teve um sabor especial. "Para mim, ser campeão aqui em Itamambuca é mais do que especial. Vencer em casa com a torcida da família e dos amigos é demais. Eu precisava de um bom resultado, já que terminei em décimo sétimo nas outras três etapas, e sem dúvida nenhuma este título já mudou a história da minha carreira em 2008. Antes eu estava mal e agora tenho chances de vencer o circuito", disse ele que com o resultado entrou na briga pelo título de campeão brasileiro em 2008. "Adoro as ondas da Barra da Tijuca. Aquelas ondas proporcionam várias manobras e venci a etapa do ano passado. É um dos lugares que gosto muito de competir e vou pra lá com tudo", completou Galvão referindo-se a próxima etapa do SuperSurf.

Final:

Renato Galvão (SP) 13.73 x 9.43 Gustavo Fernandes (RJ)

Semifinais

1 Renato Galvão (SP) 10.37 x 8.20 Saulo Júnior (SP)
2 Gustavo Fernandes (RJ) 17.00 x 13.00 Bruno Moreira (SP)



Fonte

Suelen Naraísa é campeã de Itamambuca


A ubatubense Suelen Naraísa contou com uma forte torcida da Praia de Itamambuca para vencer a quarta etapa do SuperSurf 2008. Suelen enfrentou a tetracampeã Tita Tavares em uma bateria que usou todo o seu conhecimento sobre as ondas de sua cidade local, além de usar bem a prioridade como tática para barrar a cearense.
“Estou muito feliz e emocionada de vencer aqui em Itamambuca que é o meu lugar, onde está toda minha família, meu marido e posso contar com o apoio de muita gente que acredita em mim” comemorou Suelen que disputou a segunda final contra Tita nesta temporada. Essa é a segunda vitória consecutiva da ubatubense, que venceu a cearense na mesma praia no ano passado.
Suelen Naraísa faturou o super prêmio de R$ 7 mil e 1.000 pontos no ranking feminino de 2008 e assume a segunda posição, com 3.200 pontos. “Apesar de não ter ganhado o título do SuperSurf 2008, estou muito feliz porque consegui conquistar a minha primeira vitória no ano e ainda mais em casa” disse a campeã da Praia de Itamambuca. “Não foi este ano, mas ano que vem tô aí” afirmou Suelen.


Fonte

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Big riders de olho no Chile

Eric Akiskalian, diretor da Associação Profissional de Tow-In (APT), lançou na última terça-feira, 8 de julho, o alerta amarelo mais elevado até então para a realização da primeira etapa do circuito mundial de tow-in 2008 / 2009.

O Punta de Lobos Pichilemu Chile World Cup Tow-In Surfing Championship acontece nas esquerdas de Punta Lobos, em Pichilemu, Chile.

A APT está monitorando uma grande tempestade que se forma no Pacífico Sul e deve gerar um swell gigante com previsão de encostar na América do Sul nesta quinta-feira, 10 de julho, ganhando força no início da semana seguinte com as previsões indicando que deverá ter seu auge na quarta-feira, 16 de julho, quando a ondulação deve passar dos 25 pés sólidos na região, condições perfeitas para a realização do evento no Chile.

Caso as previsões se concretizem e o swell não sofra nenhuma mudança significativa, ocasionando uma mudando de direção, a APT deve fazer a chamada para o evento nesta sexta-feira, 11 de julho, para que os competidores tenham até a terça-feira, 15 de julho, para chegarem a Pichilemu de acordo com o cronograma previsto.

Cronograma da prova

Domingo a terça-feira (13 a 15 de julho) - Todos os competidores devem chegar a Pichilemu, Chile.
Quarta-feira (16 de julho) - Realização da primeira etapa do circuito mundial de Tow-In 2008/2009.
Quinta-feira (17 de julho) - Realização da competição de surf em ondas grandes na remada.
Sexta-feira (18 de julho) - Realização da Expression Session e da festa de premiação do evento.


Lista principal de convidados


Makua Rothman / Ikaika Kalama (Haw)
Carlos Burle (Haroldo Ambrósio) / Eraldo Gueiros (Bra)
Sion Milosky / Dustin Barca (Haw)
Jamie Sterling / Mark Healey (Haw)
Garrett McNamara / Kealii Mamala (Haw)
Grant Baker / Greg Long (Afr / EUA)
Mike Parsons / Brad Gerlach (EUA)
Chuck Patterson / Scott Chandler (EUA)
Zach Wormhoudt / Jake Wormhoudt (EUA)
Danilo Couto / Rodrigo Resende (Bra)
Shawn Barney Barron / Darryl Flea Virostko (EUA)
Ross Clarke-Jones / Ian Walsh (Aus / Haw)
Peter Mel / Ryan Augenstein (EUA)
Shane Desmond / Tyler Fox (EUA)
Russell Smith / Tyler Smith (EUA)
Anthony Tashnick / Chris Brown (EUA)
Ramon Navarro / Christian Merrello (Chi)
Diego Medina / Danny Fry (Chi / Haw)
Evarldo Texeira / Yuri Soledade (Bra)
Sylvio Mancusi / Andrew Marr / (Bra / Afr)
Jamie Mitchell / James Watson (Aus)
Carlos Nogales / Manoa Drollett (Mex / Tah)
Koby Abberton / Nathan Fletcher (Haw / EUA)
Jamie O'Brien / Troy Alotis (Haw)


Alternates

Myles Padaka / Felipe Espiritu (Haw)
Kalani Chapman / Ezira Sitt (Haw)
Don Curry / Ed Guzman (EUA)
Dan Moore / Mark Anderson (Haw)
Jeff Clark / Chris Bertish (EUA / Afr)
Titus Kinimaka / Kalani Vierra (Haw)
Archie Kalepa / Buzzy Kerbox (Haw)
Dylan Longbottom / Laurie Towner (Aus)
Alastair Mennie / Andrew Cotton (Irl)



Fonte Carlos Burle.com

ASP Women’s World Longboard Championships

O Roxy ASP Women’s World Longboard Championships, evento que define a campeã mundial de longboard da temporada 2008 começa nesta sexta-feira (11/7) em Biarritz, França.

O evento conta com a participação das 48 melhores longboarders do mundo, na briga pelo tão disputado título mundial.

A norte-americano Jennifer Smith, atual campeã mundial, e a francesa Justine Dupont, vice em 2007, entram em ação no primeiro dia de competição.

Aos 22 anos de idade, Smith tenta defender o título no famoso balneário francês. Antes de conquistar o título no ano passado, a norte-americano ficou com o vice-campeonato mundial em 2006.

“Quando estava surfando esta manhã, estava um pouco ansiosa com o campeonato. Agora estou mais relaxada, tentando escolher a melhor prancha para cair na água amanhã. Amo Biarritz, é um ótimo lugar para a prática do longboard”, conta a norte-americana Jennifer Smith.

Já a francesa Justine Dupont deve ser a principal rival da norte-americana na corrida pelo título. Aos 16 anos de idade, a jovem francesa chegou à final de uma etapa mundial, logo em sua primeira prova disputada.

Quatro brasileiras aparecem na briga pelo título mundial, entre elas estão Sabrina Olas, Mainá Thompson, Cris Pires e Karina Abras.

A direção do Roxy ASP Women´s World Longboard Championship 2008 promove uma chamada para o início das disputas às 8:30 horas (horário de Brasília) desta sexta-feira.

Roxy ASP Women´s World Longboard Championship 2008

Primeira fase
1 Leah Dawson (EUA), Kelia Moniz (Haw), Yoko Furuchi (Jap)
2 Kassia Meador (EUA), Claire Dereux (Fra), Justine Mauvin (Reu)
3 Schuyler Mc Ferran (EUA), Isabelle Braly (Aus), Carissa Moore (Haw)
4 Jennifer Flanningan (EUA), Sabrina Olas (Bra), Mainá Thompson (Bra)
5 Julie Cox (EUA), Hélène Chabeaud (Fra), Roxy Towill (Afr)
6 Crystal Dzigas (Haw), Kristy Webster (Aus), Emma Wilson (Aus)
7 Joy Monahan (Haw), Cristiana Pires (Bra), Georgia Young (Aus)
8 Jennifer Smith (EUA), Kelly Nicely (EUA), Ophilie Ah-Kouen (Reu)
9 Justine Dupont (Fra), Karina Abras (Bra), Marianne Bellegrade (Fra)
10 Chelsea Williams (Aus), Estitxu Estremo (Esp), Caroline Angibeaud (Fra)
11 Coline Menard (Fra), Emma Neuschwanger (Reu), Marloes V Elswijk (Hol)
12 Selby Riddle (Aus), Lindsay Steinriede (EUA), Sarah Baum (Afr)

Fonte

Jordy Smith destaque da repescagem

O sul-africano Jordy Smith foi o grande destaque da repescagem do Billabong Pro Jeffreys Bay, sexta etapa do WCT.Com uma linha impecável nas geladas direitas de até 2 metros, Smith não deu chance alguma ao catarinense Neco Padaratz, derrotado por 19.60 a 11.33 pontos.Depois de ser derrotado por Adriano Mineirinho na primeira rodada, o sul-africano descontou a ira em J-Bay com juros e correção, fazendo a melhor apresentação do dia.Logo na primeira onda, Smith arrancou nota 9.00 dos juízes e botou pressão em Neco. Para fechar a atuação com chave-de-ouro, descolou a maior nota do dia (9.60) para deixar o brasileiro precisando de uma combinação no total de 19.61 pontos.Neco bem que tentou, mas somou apenas 6.83 e 4.50. O brasileiro amarga a 33a posição e sai de Jeffreys com US$ 4,7 mil e 225 pontos no ranking do tour. 



Billabong Pro Jeffrey´s Bay 2008Repescagem 


1 Joel Parkinson (Aus) 16.33 x 9.67 Mark Occhilupo (Aus) 

2 Andy Irons (Haw) 15.17 x 11.83 Granger Larsen (Haw) 

3 Bobby Martinez (EUA) 16.33 x 4.33 Rudy Palmboom (Afr) 

4 Adrian Buchan (Aus) 13.07 x 11.00 Nic Muscroft (Aus) 

5 Jeremy Flores (Fra) 15.67 x 11.34 Ricky Basnett (Afr) 

6 Luke Stedman (Aus) 12.00 x 7.60 Daniel Ross (Aus) 

7 Kai Otton (Aus) 14.27 x 13.94 Jihad Khodr (Bra) 

8 Travis Logie (Afr) 15.50 x 12.00 Tim Reyes (EUA) 

9 Pancho Sullivan (Haw) x Ben Bourgeois (EUA)* 

10 Dayyan Neve (Aus) 15.66 x 14.50 Tiago Pires (Por) 

11 Heitor Alves (Bra) 16.66 x 13.83 Dane Reynolds (EUA) 

12 Tom Whitaker (Aus) 15.10 x 13.70 Rodrigo Dornelles (Bra) 

13 Michael Campbell (Aus) 15.30 x 9.50 Damien Hobgood (EUA) 

14 Luke Munro (Aus) 16.33 x 12.50 Ben Dunn (Aus) 

15 Jordy Smith (Afr) 18.60 x 11.33 Neco Padaratz (Bra) 

16 Chris Ward (EUA) 13.16 x 12.17 Mikael Picon (Fra) 


* A bateria não foi disputada porque Pancho Sullivan teve problemas com o visto.


Terceira fase 

1 Bede Durbidge (Aus) x Leonardo Neves (Bra) 

2 Luke Stedman (Aus) x Roy Powers (Haw) 

3 Kai Otton (Aus) x Jay Thompson (Aus) 

4 Joel Parkinson (Aus) x Daniel Wills (Aus) 

5 Adriano de Souza (Bra) x Michael Campbell (Aus) 

6 Bobby Martinez (EUA) x Luke Munro (Aus) 

7 Tom Whitaker (Aus) x Taylor Knox (EUA) 

8 Kelly Slater (EUA) x Travis Logie (Afr) 

9 Mick Fanning (Aus) x Ben Bourgeois (EUA) 

10 Dayyan Neve (Aus) x Bruce Irons (Haw) 

11 C.J. Hobgood (EUA) x Kieren Perrow (Aus)

12 Adrian Buchan (Aus) x Fred Patacchia (Haw) 

13 Taj Burrow (Aus) x Royden Bryson (Afr) 

14 Dean Morrison (Aus) x Jordy Smith (Afr) 

15 Andy Irons (Haw) x Heitor Alves (Bra) 

16 Jeremy Flores (Fra) x Chris Ward (EUA)


Ocorreu um erro neste gadget
Template by - Abdul Munir | Daya Earth Blogger Template | Política de Privacidade